Fonte: OpenWeather

    Com a palavra


    'Não abro mão de falar em nome da população', Rodrigo Guedes

    O vereador destacou que tem o objetivo de fiscalizar as ações do Poder Executivo para melhorar a vida da população amazonense

     

    Já foi subsecretário de Juventude Esporte e Lazer entre março de 2010 até abril de 2016 e retornou à pasta em janeiro de 2017
    Já foi subsecretário de Juventude Esporte e Lazer entre março de 2010 até abril de 2016 e retornou à pasta em janeiro de 2017 | Foto: Brayan Riker

    Manaus - Eleito vereador pela primeira vez no pleito municipal de 2020, com 4.885 votos, Rodrigo Guedes acumula experiência política há mais de uma década. Iniciou sua jornada ainda quando era acadêmico de direito na Universidade Federal do Amazonas (UFAM), onde foi eleito diretor do Diretório Central dos Estudantes em 2007.

    Já foi subsecretário de Juventude Esporte e Lazer entre março de 2010 até abril de 2016 e retornou à pasta em janeiro de 2017, onde ficou até o ano seguinte. À frente da Secretaria, desenvolveu projetos de política pública de juventude do município, como conselho, conferências, plano e ações. Guedes também já foi coordenador do Procon Manaus entre 2018 e 2019, quando também desempenhou o cargo de Ouvidor Geral do município.

    O parlamentar também foi tesoureiro Nacional da Associação Brasileira de Procons e atuou como secretário Municipal de Defesa do Consumidor e Ouvidoria, deixando os cargos em 2020.

    Confira a entrevista completa:

    EM TEMPO - O senhor assumiu como vereador em um momento de crise sanitária e de muita polarização na área política, como o senhor define os primeiros meses do mandato?

     Rodrigo Guedes – Além da crise sanitária e econômica, eu passei por uma situação pessoal que foi a perda do meu pai. Então, nos primeiros meses dos mandatos eu acompanhei o tratamento dele, trabalhando para a população e cuidando dele. E logo após a posse, veio o pico da pandemia em Manaus. Lembro que recebi em um dia 500 ligações de pessoas precisando de ajuda, nessa época doei metade do meu salário para as organizações que estavam trabalhando na pandemia e cilindros de oxigênio nos hospitais e foi uma loucura, pois muitas pessoas estavam precisando e muitas me procuraram para solicitar apoio. E eu como vereador, tive a oportunidade de entrar nos hospitais e ajudar os pacientes e seus familiares, infelizmente em meio a uma situação muito triste. E nesse momento eu tive a certeza que nós precisamos fazer algo de diferente, pois a população sofre muito.

    EM TEMPO - O senhor foi eleito sendo muito conhecido pelo seu trabalho em defesa do consumidor. Em relação a esses temas, quais projetos voltados para a categoria o senhor pode destacar?

    Rodrigo Guedes – Estou acima de tudo fiscalizando diversos serviços, conseguimos 20 assinaturas para instaurar a CPI da Amazonas Energia, estou me mobilizando para iniciar novas fiscalizações em relação a companhia Águas Manaus e tenho feito diversas denúncias em relação as filas dos bancos que prejudicam a população que procura os serviços bancários, entre outras situações. E gostaria de destacar que eu não pretendo fazer milhares de Projetos de Leis que não tem relevância alguma, pois hoje nós temos milhares de leis que não saem do papel e só servem para atrapalhar a vida da população. Farei projetos, quando eu tiver a plena certeza que eles serão uteis.

    EM TEMPO - Um dos efeitos que a pandemia trouxe foi aumento do preço dos alimentos, medicamentos e até do combustível. Embora isso seja reflexo da política federal, o que tem sido feito na CMM para barrar os preços abusivos na capital?

    Rodrigo Guedes – Nós precisamos, acima de tudo, cortar o mal pela raiz. O preço abusivo do combustível não é solucionado porque a legislação federal não permite que nós tenhamos o preço justo do recurso. Existe um intermediário na cadeia da produção, distribuição e comercialização que são as distribuidoras, elas exoneram os preços e acabam controlando todo esse processo. Fora isso, temos a legislação estadual, pois o ICMS Do Amazonas é altíssimo e induz um cartelização, então enquanto nós não conseguirmos alterar a legislação será muito complicado encontrar uma solução positiva para os consumidores. No entanto, temos ferramentas de fiscalização e não podemos permitir situações como estas, por isso continuarei fiscalizando e denunciando preços.

    "

    Não serei bajulador do Executivo, quero construir e não abro mão de exercer o meu papel de fiscalizar e falar em nome da população. "

    vereador, Rodrigo Guedes, sobre sua atuação como vereador

     

    EM TEMPO - Pessoas ligadas ao esporte queixam-se da falta de investimentos do setor público nos últimos anos. O senhor conhece bem o assunto, pois já chefiou a Semjel, para o senhor qual seria a alternativo ideal para que esse investimento chegue aos atletas?

    Rodrigo Guedes – Vou dar o exemplo do futebol. Em 2006, quando a Alemanha foi eliminada nas oitavas de final e a seleção estava envelhecida. O pais começou a investir nas escolas de futebol e somente oito anos depois a Alemanha colheu seus frutos, eliminando o brasil com 7x1 e vencendo a Copa do Mundo. Então, dificilmente um craque do futebol nasce com 23 anos, ele nasce a partir dos 11 anos e sem investimento ele não ingressa na profissão para se tornar atleta e acaba buscando outra coisa. Então, eu acredito que o poder público municipal e estadual precisa incentivar o esporte de bairro seja ele futebol, vôlei, ginástica ou qualquer outra modalidade, precisamos ver o esporte como um investimento e não gasto público.

    EM TEMPO - Durante a sua campanha, o senhor falou muito em ser a voz da população na Câmara. Como o senhor tem se relacionado com a população para que essas vozes possam ecoar?

    Rodrigo Guedes – Na maioria das vezes a voz do cidadão é silenciada e por isso, eu me propus a ser representante dos cidadãos de Manaus. E eu pretendo fazer isso com independência, em relação a qualquer outro poder, principalmente aquele é da minha competência fiscalizar, o Executivo. Mesmo apoiando as ações positivas que são desenvolvidas, quando necessário irei criticar. Pois, precisamos melhorar o serviço público, a administração pública no geral e também a qualidade de vida das pessoas, porém isso não acontece se não for dado acesso a população aos serviços. Precisamos trabalhar para que a população exija suas necessidades e não seja dependente de um vereador ou representante, eu quero que a comunidade seja livre e tenho acesso aos serviços públicos, para cobrar essa assistência e só faremos isso se ampliarmos o poder público para a população. Senão, a população ficará para sempre na escravidão dos políticos e seus respectivos poderes.

    EM TEMPO – Quais os critérios o senhor tem usado para elaborar seus projetos e apresentar suas propostas no plenário, para então serem aprovadas pela Prefeitura?

    Rodrigo Guedes – Tenho convidado o prefeito David Almeida e o vice-prefeito Marcos Rotta, para estar presente nos serviços da Prefeitura que estão parados. Pois, o vereador não pode fiscalizar somente os papéis e licitações, é preciso ir para as ruas e ver se os serviços estão sendo bem executado e se não estiver precisamos denunciar publicamente na tribuna. E é assim que tem sido o meu trabalho, denunciei as ciclovias da Av. Das Torres, obras da Prefeitura que estavam abandonas, problemas nas companhias de fornecimento de água e luz, irregularidades no viaduto do Manoa. E assim eu vou cumprir meu papel, não serei bajulador do Executivo, eu quero construir e não abro mão de exercer o meu papel de fiscalizar e falar em nome da população, pois foi para isso que eu fui eleito.

     

    | Foto: Brayan Riker

    EM TEMPO - O senhor é um dos possíveis nomes a se lançar na campanha de 2022. Essa realmente é sua intenção, a população pode esperar sua candidatura para a Aleam, por exemplo?

    Rodrigo Guedes – Quero cumprir o meu mandato de vereador. No entanto, eu não descarto a possibilidade, não vou dizer que não pretendo de jeito algum, como muitos fazem. Eu estou focado no meu mandato, porém a política é feita de conjuntura e aqui eu não me refiro ao cargo de deputado estadual, qual sabe pode surgir uma oportunidade de compor uma chapa para o Executivo. Nesse momento, eu tenho que fazer o meu trabalho bem feito e depois de um tempo, se tiver necessidade, eu irei bater o martelo.

    EM TEMPO - Quais suas impressões sobre o panorama político que se desenha para as eleições gerais do ano que vem, do ponto de vista do governo federal?

    Rodrigo Guedes - Eu não gosto de nenhuma polarização. Acredito que isso seja ruim para o pais, pois se perde o entendimento do que é melhor para o país e o eleitorado se divide em torcidas e isso é extremamente prejudicial. E espero que a população tenha mais opções e saiba escolher o que é melhor para a Brasil.

    "

    Precisamos ampliar os serviços públicos à população, senão a população ficará para sempre na escravidão dos políticos e seus respectivos poderes "

    vereador, Rodrigo Guedes, sobre ser a voz do povo no parlamento municipal

     

    EM TEMPO - A capital cresceu muito nos últimos anos e conta com o crescimento enorme de trabalho informal, depois de várias crises econômicas. Como o senhor pode ajudar não só a cidade a minimizar o problema, como as próprias pessoas que estão desempregadas e precisam garantir o sustento das famílias?

    Rodrigo Guedes – Eu pedi a antecipação do auxílio manauara, ele é um aliativo e contemplou boa parte da população para garantir alguns recursos básicos e faz a economia movimentar. Nos temos em Manaus, o maior índice de desemprego do brasil e o Amazonas é o terceiro maior estado com maior desemprego do país. Então, se as pessoas estão com dificuldade de conseguir emprego nos precisamos incentivar o empreendedorismo e assim movimentar a economia, com cursos profissionalizantes, feiras locais e microcréditos. Assim como explorar a diversidade do turismo e biotecnologia, pois enquanto vivermos de distrito industrial, no vamos viver com a faca das costas. Temos que explorar nossos recursos e assim conseguir independência.

    EM TEMPO – O senhor tem se emprenhado em diferentes vertentes, desde que foi eleito. Qual legado o senhor quer deixar com o seu trabalho?

    Rodrigo Guedes - Meu chefe é o povo. E o meu mandato está à disposição da população, então eu quero colaborar durante esses quatro anos para melhorar a qualidade de vida da população. Estarei sempre fiscalizando, os serviços públicos e aproximando a população do poder público, diminuindo a burocracia e atuando sempre com independência. E se eu conseguir alcançar esse objetivo, acredito que cumprirei com o meu papel de representante público. 

    Leia mais:

    Parlamentares esperam proposta para realocação de recursos do Carnaval

    Vereador Rodrigo Guedes cobra do Governo do Estado auxilio emergencial

    Vereador doa metade do salário para compra de cilindros de oxigênio