Fonte: OpenWeather

    Luto


    Velório de Bruno Covas gera comoção entre familiares e simpatizantes

    Internado desde o dia 2 de maio, Covas morreu na manhã deste domingo aos 41 anos, no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo

     

    Covas morreu na manhã deste domingo aos 41 anos
    Covas morreu na manhã deste domingo aos 41 anos | Foto: Reprodução

    SÃO PAULO - Em cerimônia restrita à família e amigos próximos, o corpo do prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), foi velado na tarde deste domingo (16), na sede da Prefeitura de São Paulo, onde ele exercia o cargo de chefe do executivo municipal. Bruno deixa um filho de 15 anos, Tomás Covas.

    Internado desde o dia 2 de maio, Covas morreu na manhã deste domingo aos 41 anos, no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. O prefeito licenciado enfrentava um câncer no sistema digestivo, e já sofria com metástase nos ossos e fígado. Na sexta-feira (14), um boletim médico do Hospital apontava irreversibilidade no quadro de saúde do político.

    Ao início do velório, no Edifício Matarazzo, às 13h13, o prefeito recebeu uma homenagem de familiares e amigos próximos, e foi aplaudido por pessoas presentes na chegada do cortejo. Na ocasião, o filho de Bruno, Tomás, usava uma camiseta dos Tucanáticos, em homenagem ao partido político do pai, o PSDB. O adolescente estava acompanhado pela avó, Renata Lopes.

    Participou da cerimônia o ex-vereador Mário Covas Neto, tio de Bruno, que realizou uma leitura de trechos da missa. Além dos familiares, estiveram presentes o governador João Doria, acompanhado da esposa, Bia, e o atual prefeito Ricardo Nunes (MDB), que assumiu o cargo após ato da mesa diretora da Câmara de São Paulo. Como primeiro ato, decretou um luto oficial de sete dias na cidade.

    Na saída do velório, o filho Tomás ajudou a carregar o caixão fechado – coberto por bandeiras do Brasil e de São Paulo – até o carro do corpo de bombeiros. Em volta do veículo, simpatizantes aplaudiam e seguravam cartazes e faixas de luto. O cortejo seguiu pelas principais ruas do Centro de São Paulo, prosseguindo, por fim, para Santos, no litoral paulista.

    Também restrito à família, o enterro será no Cemitério do Paquetá, em Santos. No local, também foi sepultado o corpo de Mário Covas, avô de Bruno e ex-governador de São Paulo, que também faleceu em razão de um câncer, em 2001.

    Leia mais:

    Bruno Covas, prefeito de São Paulo, morre vítima de câncer

    Quadro de Bruno Covas piora; situação é irreversível

    Eva Wilma morre em São Paulo, aos 87 anos