Fonte: OpenWeather

    Absorverntes


    Vereadora pede absorventes para mulheres de baixa renda

    Brena Dianná (PSD) apresentou nesta segunda-feira (17), no plenário da Câmara Municipal de Parintins, um projeto de lei que visa disponibilizar absorventes para jovens e mulheres em situação de vulnerabilidade social

     

    O projeto de lei dispõe sobre o fornecimento de absorventes higiênicos
    O projeto de lei dispõe sobre o fornecimento de absorventes higiênicos | Foto: Divulgação

    A falta de acesso a absorventes higiênicos é conhecida mundialmente como ‘Pobreza Menstrual’ e é considerada uma questão de saúde pública, por isso a vereadora Brena Dianná (PSD) apresentou nesta segunda-feira (17), no plenário da Câmara Municipal de Parintins, um projeto de lei que visa disponibilizar absorventes para jovens e mulheres em situação de vulnerabilidade social.

    “É importante ressaltar que absorvente não é item de beleza, é item básico de higiene feminina. Menstruação é um processo natural do corpo feminino, mas ainda um tabu e cercado de desinformação. Por isso mesmo, é questão de saúde pública, e não pode ser negligenciada. A pobreza menstrual vai muito além da falta de dinheiro para comprar produtos de higiene menstrual adequados. Ela denuncia um problema global da falta de acesso à água, saneamento básico e desigualdade social”, explica.

    O projeto de lei dispõe sobre o fornecimento de absorventes higiênicos nas escolas públicas e nas unidades básicas de saúde no município de Parintins, foi apresentado e segue para votação.

    Indicação para municipalização de exames de baixa e média complexidade

    A vereadora aproveitou o seu tempo regular na Casa para apresentar uma indicação à Prefeitura Municipal de Parintins, em municipalizar exames de baixa e média complexidade, a exemplo do exame de preventivo do colo de útero (Papanicolaou), que detecta lesões.

    “Atualmente, as mulheres do município de Parintins têm dificuldades em fazer exames simples como o preventivo do colo de útero, quando estas conseguem colher o material, o resultado do exame não retorna e, estas mulheres, ficam achando que estão livres de qualquer doença”, informa Dianná.  

    A especialista em saúde da mulher, ginecologista e obstetra, Dra. Rafaella Seffair, explica, “podemos salvar vidas com os exames, o câncer do colo uterino começa com lesões e tem se detectado preventivamente podendo ser tratado antes que chegue a um estado avançado, evitando que essa mulher deixe sua família para ir para a capital fazer o tratamento”.

    A vereadora ainda complementou a sua fala: “O câncer do colo uterino é o que mais mata no nosso Estado e no nosso município de Parintins. Diante do exposto solicito a municipalização de exames de baixa e média complexidade, principalmente, o preventivo do colo uterino, para que desta forma possamos salvar vidas em Parintins”.

    *Com informações da assessoria

    Leia Mais:

    Bruno Covas, prefeito de São Paulo, morre vítima de câncer

    “Estou do lado dos professores", diz Zé Ricardo em debate

    "Sou imorrível, imbrochável e também sou incomível", diz Bolsonaro