Fonte: OpenWeather

    Indicação


    Belisário diz que vai 'amazonizar' OTCA caso comande o organismo

    Com sede em Brasília, o órgão reúne oito países da Amazônia Legal, e foi criado em 2003. Caso escolhido, Belisário Arce pode ser o primeiro brasileiro a gerenciar o organismo.

     

    Membro pioneiro da organização, Arce, no entanto, alega que o mecanismo de cooperação multilateral da OTCA carece de efetividade.
    Membro pioneiro da organização, Arce, no entanto, alega que o mecanismo de cooperação multilateral da OTCA carece de efetividade. | Foto: Divulgação

    Brasília - O diretor-executivo da Pan Amazônia, Belisário Arce, nesta quinta-feira (20), afirmou que pretende "amazonizar" a  Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA) , caso seja o escolhido para comandar o organismo. Segundo Arce, é necessário que esteja à frente da Organização alguém que tenha conhecimento e compromisso com a região norte do país.  

    Belisário foi indicado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para a Secretaria-geral da OTCA. Com sede em Brasília, o órgão reúne oito países da Amazônia Legal, e foi criado em 2003. Caso escolhido, Belisário pode ser o primeiro brasileiro a gerenciar o organismo.

    Com o objetivo de promover cooperação multilateral entre os países envolvidos, o bloco socioambiental tem como base o desenvolvimento harmônico da Amazônia com equilíbrio entre desenvolvimento econômico e preservação do meio ambiente. O órgão tem origem em 1978, quando, por iniciativa brasileira, os oito países amazônicos assinaram, em Brasília, o Tratado de Cooperação Amazônica (TCA).

    Membro pioneiro da organização, Arce, no entanto, alega que o mecanismo de cooperação multilateral da OTCA carece de efetividade. Para o ex-diretor da Pan Amazônia, a promoção de prosperidade regional e estabelecimento de políticas públicas comuns entre os oito Estados Nacionais não vêm se concretizando.

      “Uma das razões desse fracasso, do meu ponto de vista, é o total afastamento que a OTCA mantém da sociedade e da realidade amazônica. Nunca, nenhum amazônida esteve na direção da OTCA, assim como em sua sede, em Brasília, não há nenhum profissional da Amazônia. O quadro é formado por pessoas que não têm nem conhecimento nem compromisso com a região. Mas, se eu for eleito, tudo isso vai mudar, pois vou amazonizar a OTCA em todos os sentidos e transformá-la em um instrumento verdadeiramente útil para a solução dos graves problemas de nossa região”, explicou.  

    Ainda de acordo com Arce, que já foi chefe de gabinete do bloco, um dos pontos negativos da organização é a priorização de projetos ambientais. Segundo ele, outros assuntos também seriam vitais para o desenvolvimento econômico dos países envolvidos.

    “Hoje, se você acessar o website da OTCA, parece mais uma ONG ambientalista do que um Organismo Internacional multilateral. É bom lembrar que a base do Tratado de Cooperação Amazônica é a garantia da soberania nacional para o aproveitamento dos potenciais e riquezas pelos países membros –  com total respeito ao meio ambiente.

    Parece que isso foi esquecido pelos seis Secretários-Gerais que estiveram à frente da OTCA até agora. Vou recuperar esses temas importantes para a prosperidade regional”, ressaltou o indicado ao cargo.

    Leia mais:

    Especialistas e parlamentares cobram proteção ambiental para Amazônia

    Deputado solicita apoio federal para famílias do Distrito de Matupi

    'Precisamos criar uma cidade empreendedora', diz vereador Diego Afonso