Fonte: OpenWeather

    Amamentação


    Deputada aprovação do PL sobre amamentação em espaços públicos

    Outro ponto destacado por Joana Darc é a inclusão das mães que amamentam no grupo prioritário de imunização contra a Covid-19

     

    O PL foi apresentado em 2020, antes ainda de se tornar mãe do pequeno Joaquim
    O PL foi apresentado em 2020, antes ainda de se tornar mãe do pequeno Joaquim | Foto: Divulgação

    Após suspender sua licença-maternidade, a deputada estadual Joana Darc (PL) retornou nesta quinmta-feira (17), às sessões plenárias híbridas para abordar pautas voltadas à maternidade. Após ter protocolado o pedido de suspensão da licença, levando Joaquim à tiracolo, em um carregador de pano, mamando, Joana Darc recebeu severas críticas por amamentar seu filho publicamente.

    A parlamentar aproveitou a sessão de hoje para chamar atenção aos ataques. Destacou que nenhuma mulher pode sofrer discriminação por alimentar o seu filho de maneira natural, solicitando aos demais deputados celeridade na aprovação do Projeto de Lei Nº 473/2020, que assegura às lactantes e lactentes o direito à amamentação em áreas de uso coletivo, de domínio público ou privado, livres de discriminação, constrangimento ou assédio.

    O PL foi apresentado em 2020, antes ainda de se tornar mãe do pequeno Joaquim.

    Joana Darc se referiu também à disponibilização de espaços exclusivos à amamentação. “As salas eram também uma defesa minha, mas aprendi no ativismo materno que elas também são uma forma de exclusão.Há necessidade nos espaços públicos e privados de salas de apoio às mães, não salas exclusivas para a amamentação”, apontou a deputada.

    Conforme a proposta, os espaços de uso coletivo, incluindo ambientes de trabalho, disponibilizarão locais para o aleitamento materno, cabendo exclusivamente às mães a opção por usá-los ou não.

    O projeto de lei propõe que os responsáveis por espaços em que mães forem constrangidas por amamentar em público ou impedidas de amamentar sejam multados em  R$ 1 mil a R$ 10 mil. Os estabelecimentos deverão, ainda, treinar seus funcionários a entender a importância do aleitamento materno e a respeitar as mães e crianças.

    Outro ponto destacado por Joana Darc é a inclusão das mães que amamentam no grupo prioritário de imunização contra a Covid-19.

    “Eu ingressei com uma ação judicial para garantir às lactantes a vacinação contra Covid. Fica aqui o meu apelo ao Poder Judiciário pela aprovação da minha solicitação. Porque isso se trata de um problema coletivo. Vacinando a mãe, você está imunizando o filho. Já existem diversos estudos que comprovam a imunização cruzada. A gente vai usar uma vacina, para proteger duas pessoas”, destacou a parlamentar.

    Joana Darc representa a campanha promovida por mulheres que amamentam e que, nas últimas semanas, têm compartilhado fotos nutrindo seus bebês em um “mamaço virtual” para endossar essa reivindicação.

    *Com informações da assessoria

    Leia Mais:

    CPI vai pedir retenção do passaporte de Wizard após ausência

    Jovem é morto com tiro na cabeça em beco na Compensa

    Deputados do AM defendem incentivo à pesquisa científica para Covid-19