Fonte: OpenWeather

    Supremo


    Rosa Weber pede investigação contra Bolsonaro e Roberto Dias

    O pedido é da deputada petista Natália Bonavides e envolve negociação na compra de vacinas

     

    A ministra Rosa Weber já enviou à PGR uma outra notícia-crime contra o presidente
    A ministra Rosa Weber já enviou à PGR uma outra notícia-crime contra o presidente | Foto: Divulgação

    A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber, enviou à Procuradoria-Geral da República (PGR) pedido de investigação contra o presidente Jair Bolsonaro e o ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Dias.

    A notícia-crime foi apresentada pela deputada federal Natália Bonavides (PT-RN) e pede investigação sobre crime de prevaricação do presidente e corrupção do ex-diretor nas negociações da compra da vacina AstraZeneca com pedido de propina de US$ 1 por dose.

    Intimação

    "

    "Trata-se de petição por meio da qual a Deputada Federal NATÁLIA BASTOS BONAVIDES noticia o cometimento, em tese, do crime tipificado no artigo 319 do CP (prevaricação), pelo Presidente da República, JAIR MESSIAS BOLSONARO, bem como dos crimes previstos nos artigos 288 (associação criminosa), 317 (corrupção passiva) e 321 (advocacia administrativa) do CP, por ROBERTO FERREIRA DIAS. Determino a abertura de vista dos autos à Procuradoria-Geral da República, a quem cabe a formação da opinio delicti em feitos de competência desta Suprema Corte, para manifestação no prazo regimental. Com o parecer ministerial, voltem conclusos. Brasília, 30 de junho de 2021.", no pedido. "

    ,

     

    A ministra Rosa Weber já enviou à PGR uma outra notícia-crime contra o presidente que trata da compra da vacina indiana Covaxin. A PGR pediu que o STF aguarde o fim da CPI para abrir o inquérito.

    *Com informações do SBT News

    Leia mais

    Alexandre de Moraes encerra inquérito sobre atos antidemocráticos

    Julgamento sobre demarcação de terra indígena em SC é adiado

    Wizard se nega a responder perguntas na CPI da Covid-19