Fonte: OpenWeather

    Saúde Mental


    Conheça o drama de quem sofre com Transtorno de Ansiedade Generalizada

    Paloma Souza conta nas redes sociais os dramas de quem sofre com a doença conhecida como TAG

    A TAG é uma ansiedade generalizada e persistente.
    A TAG é uma ansiedade generalizada e persistente. | Foto: Freepik

    Manaus - O Transtorno de Ansiedade Generalizada, também conhecido pela sigla TAG, é uma doença que tem aproximadamente 2 milhões de novos diagnósticos a cada ano, no Brasil. Apesar do alto número de pessoas que sofrem com este transtorno, muitos amazonenses ainda não sabem quais os sintomas e o tratamento.

    A psicóloga e terapeuta cognitivo-comportamental, Aghata Valentim explica que TAG, como o próprio nome já diz, é a ansiedade generalizada e persistente. Não se restringe a um evento ou situação.

    A TAG é um transtorno caracterizado pela preocupação excessiva ou expectativa apreensiva, de acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-IV). Seus sinais de alerta são: taquicardia ou aceleração no coração, sudorese ou suor excessivo, falta de ar, tontura, desconforto intestinal que pode incluir diarreia, sensação de que algo ruim está para acontecer, entre outros. 

    É possível identificar este transtorno por meio da auto-observação. "Se você tem uma presença permanente de preocupação ou tensão excessivas, mesmo que não exista motivos, é hora de procurar ajuda", diz a especialista.

    “Muita gente não entende, então eu procuro ser verdadeira", diz Paloma.
    “Muita gente não entende, então eu procuro ser verdadeira", diz Paloma. | Foto: Arquivo Pessoal

    A partir do diagnóstico feito pelo psicólogo ou psiquiatra, começa o tratamento. "Existem pesquisas que comprovam a melhora da ansiedade através de métodos ou técnicas de relaxamento, como por exemplo a meditação. A terapia faz parte desse processo de melhora do paciente. Em casos mais graves, o uso de medicação é essencial para estabilizar o paciente e assim, auxiliá-lo com a terapia", explica.

    Diagnosticada há um ano e meio com transtorno de ansiedade generalizada (TAG), Paloma Souza, de 32 anos, começou a compartilhar sobre a doença nas suas redes sociais para conscientizar cada vez mais pessoas. 

    No perfil do Instagram @lomittas, a coordenadora de compras fala abertamente sobre o que sente. “Muita gente não entende, então eu procuro ser verdadeira. Não apareço só maquiada, às vezes eu apareço no meio de uma crise”, diz. 

    Paloma Souza compartilha em suas redes sociais sobre a doença
    Paloma Souza compartilha em suas redes sociais sobre a doença | Foto: Arquivo Pessoal

    Ela relata que, quando está prestes a ter uma crise, a boca fica inchada e aparecem catombos na testa. “Quem tem TAG tem sintomas físicos. A minha mão é toda preta porque eu mordo muito quando estou com alguns pensamentos repetitivos e obsessivos”, compartilha.

    Paloma diz que já foi diversas vezes ao hospital achando que iria morrer, com a respiração ofegante, coração acelerado, sudorese e pressão baixa. “Quando chega ao hospital sinto vergonha pois o batimento está normal, a pressão está normal, fisicamente não tem nada, está tudo na cabeça”, conta. 

    Depois que começou a compartilhar nas redes sociais o que sente, muitas pessoas se identificando.  “O mais importante é entender os sintomas, saber que vai passar e fazer o treinamento direitinho”, diz. Ela também faz atividades físicas para se sentir melhor.