Fonte: OpenWeather

    Precaução


    Com coronavírus, empresas aéreas suspendem voos para China

    Air France vai manter viagens para Pequim e Xangai, mas suspende as com destino a Wuhan

    Empresas aéreas suspendem voos para China devido coronavírus | Foto: Divulgação

    A companhia aérea British Airways suspendeu nesta quarta-feira todos os voos para a China continental, após a recomendação do governo britânico para que os cidadãos evitem viajar ao país asiático em consequência da epidemia de coronavírus.

    "Suspendemos todos os voos para e a partir da China continental com efeito imediato após a recomendação do ministério das Relações Exteriores", anunciou a empresa em um comunicado.

    A companhia britânica tem voos diários do aeroporto Heathrow, de Londres, com destino a Pequim e Xangai.

    A British Airways, que integra o conglomerado IAG, pediu desculpas aos passageiros, mas afirmou que a segurança dos clientes e dos funcionários é uma prioridade diante do surto do novo coronavírus, que já causou a morte de 132 pessoas na China.

    A companhia aérea disse em um e-mail que os cancelamentos estavam em vigor até 31 de janeiro, enquanto avalia a situação. Os passageiros que tinham viagens programadas para o país asiático com a British Airways devem procurar informações no site da empresa.

    A companhia indonésia Lion Air também anunciou nesta quarta-feira a suspensão dos voos com destino à China em consequência do coronavírus na região de Wuhan.

    Já a Air France anunciou que mantém o programa de voos para a China: a companhia tem 10 voos semanais para Pequim e 13 com destino a Xangai a partir de Paris. A empresa, no entanto, suspendeu os três voos semanais para Wuhan, a cidade em que surgiu a epidemia.

    Nos últimos dias, as companhias aéreas Cathay Pacific Airways, United Airlines e Ural Airlines suspenderam ou modificaram os programas de voo em consequência da epidemia que afeta a China.

    A Cathay Pacific Airways, de Hong Kong, disse que planeja reduzir a capacidade para a China em 50% ou mais a partir de quinta-feira, em outro golpe para a companhia aérea que já está sob pressão dos protestos em Hong Kong.

    Nos Estados Unidos, a United Airlines disse que reduziria voos para Pequim, Xangai e Hong Kong.

    A russa Ural Airlines, que viaja para Munique, Paris e Roma, anunciou nesta quarta-feira a suspensão de todos os voos para a Europa devido à propagação do coronavírus.

    "Devido à situação epidêmica na China e com a implementação de medidas restritivas por parte das autoridades chinesas e pela agência de turismo russa para turistas chineses e russos, a Ural Airlines é obrigada a cancelar uma série de voos até o fim do inverno", anunciou a empresa.

    Os voos para a Europa da Ural Airlines, uma empresa com sede em Ekaterimburgo, são tradicionalmente usados por grandes grupos de viagens organizados na China. Os turistas chineses usam os aeroportos russos como uma escala para a Europa.

    Várias companhias aéreas sul-coreanas também suspenderam voos para cidades chinesas, como Asiana Airlines, Jeju Air e Jin Air, enquanto Finnair e Air Macau estão entre as outras que tomaram medidas semelhantes.

    O número de casos confirmados na China subiu para 5.974 - ultrapassando a contagem oficial de pacientes com a SARS no país -, enquanto 132 pessoas morreram devido ao coronavírus.

    O avanço do vírus já havia afetado as viagens dentro da China durante o feriado do Ano Novo Lunar. As viagens domésticas por trens, veículos automotivos, barcos e aviões na China diminuíram 7,4% entre 10 e 28 de janeiro, segundo o jornal People’s Daily, citando o Ministério dos Transportes.

    A companhia aérea finlandesa Finnair anunciou que suspenderia seus voos para Nanjing e Pequim Daxing até o final de março, depois que a China suspendeu as viagens de grupos internacionais do país. A Finnair suspenderá seus três voos semanais entre Helsinque e Aeroporto Internacional de Pequim Daxing entre 5 de fevereiro e 29 de março e seus dois voos semanais entre Helsinque e Nanjing entre 8 de fevereiro e 29 de março.

    A americana United, com sede em Chicago, disse que suspendeu 24 voos  para Pequim, Hong Kong e Xangai entre 1º e 8 de fevereiro, devido a uma queda significativa na demanda.

    A Air Canada informou que estava cancelando voos selecionados para a China para coordenar melhor a capacidade com a demanda esperada.

    A companhia aérea indonésia Lion Air disse nesta quarta-feira que suspenderia todos os voos para a China a partir de fevereiro. A companhia aérea suspendeu seis vôos de várias cidades da Indonésia para a China até o momento e suspenderá o restante no próximo mês.

    A Air Seoul suspendeu todos os voos para a China.