Fonte: OpenWeather

    Consumo


    Cresce a procura por bebidas alcoólicas durante quarentena

    Especialista alerta riscos causados pelo consumo excessivo de álcool durante quarentena

    O médico alertou ainda sobre outros riscos que o consumo excessivo de álcool pode causar | Foto: Reprodução

    Manaus – Com shoppings e casas de shows fechados, a população amazonense não tem muitas opções para se distrair nas últimas semanas. Em Manaus, a procura por bebidas alcoólicas aumentou entre 30%, desde o início do isolamento social, conforme proprietários de comércios de bebidas ouvidos pelo EM TEMPO, que preferiram não se identificar. Eles informaram ainda que o consumo se assemelha ao início do carnaval, quando ainda não há muitas bandas de rua, mas que a população já começa a se reunir para comemorar.

    De acordo com os estabelecimentos ouvidos, as principais bebidas procuradas pela população neste período são as cervejas tradicionais em garrafa, latas e as mais diferencias como Heineken e Amistel. “As vendas aumentaram uns 30% neste período e nos surpreendeu bastante”.

    Entretenimento

    A principal causa do aumento se deve a população estar em casa com bastante tempo livre e poucas opções de entretenimento. A saída é se reunir os amigos por vídeo ou acompanhar as lives de grandes artistas pela internet. Nisso, as bebidas acabam sendo ingeridas no momento.

    O publicitário Jonas Souza afirmou que tem consumido as bebidas com mais frequência neste período. “Eu sempre gostei de consumir bebidas alcoólicas, porém com a responsabilidade do dia a dia, às vezes, me impedia de consumir com mais frequência. Nesse período o meu consumo aumentou até como forma de passar o tempo, tenho consumido cerveja, mas somente uma caixinha por semana, consumo todos os dias no fim da tarde”.

    Jonas destacou que as bebidas mais procuradas por ele são as cervejas comuns e as bebidas mais elaboradas. “Também estou optando por chopps de vinho, cervejas artesanais, destilados e vinho, mas esporadicamente. As bebidas diferencias eu costumo consumir quando acompanho as lives dos artistas que gosto”.

    Também há os casos de pessoas que não consomem álcool com frequência e durante este período optaram por consumi-los somente em casos coletivos, fins de semana ou durante uma programação diferenciada, como é o caso da designer gráfico, Giovana Guimarães.

    “Eu e as pessoas que moram comigo não temos o costume de beber tanto, mas como as lives estão acontecendo com frequência, optamos por beber nesses casos, é como se estivéssemos em barzinho, mas dentro de casa”, relatou.

     Relaxar

    Além das formas de distração e entretenimento, as bebidas também são usadas como forma de relaxamento para quem continua seguindo a rotina de trabalho normal, mesmo em home office. É o que conta a profissional de marketing, Saskya Canizo.

    “Normalmente eu não tenho o hábito de sair para beber, mas neste período, quando o meu irmão sai para fazer compras, eu peço que ele traga cerveja para mim, com isso, estou bebendo com mais frequência, porém somente uma a três longnecks por dia. Por estar trabalhando em home office, a carga horária aumentou em relação ao trabalho em ambiente físico, por isso, a cervejinha acaba sendo uma maneira de relaxar antes de dormir”, brincou Saskya.

    Saúde

    As bebidas alcoólicas sempre foram opções para o entretimento pessoal e coletivo, mas em momento onde o mundo passa por uma pandemia que fragiliza a saúde pública do mundo, a população precisa ficar atenta e diminuir o consumo alcoólico. Segundo o médico e cardiologista, Dr. Rizzieri Gomes.

    “Em casos de coma ou intoxicação alcoólica que provocam sintomas como vômito, desmaio e hipotensão, se torna necessário repor na glicose na veia. Nesse momento ir à emergência em uma situação como essa, faz com que a pessoa se exponha ao vírus, tendo uma capacidade maior de contaminação com a Covid-19. Então se a gente pode evitar o consumo excessivo, é o melhor a fazer. Pode consumir, mas sempre com responsabilidade”, explicou Rizzieri.

    O médico alertou ainda sobre outros riscos que o consumo excessivo de álcool pode causar e as alterações que o corpo humano sofre com ele.

    “O consumo abusivo de álcool causa o aumento da pressão arterial e também o risco de arritmia por intoxicação alcoólica. Esses pacientes podem ter palpitação que acaba gerando mais riscos para quem tem doenças cardiovasculares, além disso, o álcool é uma droga que pode causar dependência. Também é uma caloria sem nenhum benefício nutritivo fazendo com que a pessoa chegue ao fim da quarentena com vários quilos a mais”, ressaltou o cardiologista.  

    O médico ressaltou ainda que em casos de consumo de álcool é recomendado que a pessoa se mantenha hidratada e não faça o uso de paracetamol, pois o medicamento pode causar riscos hepatite medicamentosa quando existe interação com o álcool.