Fonte: OpenWeather

    Informações sobre a Covid-19


    Perguntas e respostas sobre a pandemia de coronavírus

    A medida que o surto de coronavírus se expande, aumenta o risco de contaminação. Em todo o Brasil já há contaminação comunitária. Veja perguntas e respostas sobre o vírus e como se proteger.

    Em 31 de dezembro de 2019 o escritório da Organização Mundial da Saúde (OMS) foi informado sobre casos de pneumonia de origem desconhecida detectados na cidade de Wuhan, localizada na província de Hubei, na parte central da China,
    Em 31 de dezembro de 2019 o escritório da Organização Mundial da Saúde (OMS) foi informado sobre casos de pneumonia de origem desconhecida detectados na cidade de Wuhan, localizada na província de Hubei, na parte central da China, | Foto: Divulgação/Secom

    1 - O que é o coronavírus?

    Os coronavírus pertencem a uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias que podem variar de um resfriado comum a doenças mais graves como a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS) e a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS). O coronavírus descoberto mais recentemente causa a COVID-19.

    2 -  Como ocorreram as primeiras infecções humanas pelo novo coronavírus?

    Em 31 de dezembro de 2019 o escritório da Organização Mundial da Saúde (OMS) foi informado sobre casos de pneumonia de origem desconhecida detectados na cidade de Wuhan, localizada na província de Hubei, na parte central da China, cuja população estimada é de 11 milhões de habitantes.

    As autoridades chinesas informaram à OMS que alguns pacientes trabalhavam em um mercado atacadista de peixes e animais vivos, localizado em Wuhan, denominado Huanan Seafood Market, maior mercado da cidade com 600 estabelecimentos e 1.500 trabalhadores.

    Esse mercado foi fechado em 1 de janeiro de 2020 para ações de saneamento e desinfecção ambiental.

    3 -  Qual a diferença entre COVID-19 e o novo coronavírus?

    COVID-19 é a doença infecciosa causada pelo novo coronavírus (SARS-COV-2), agente causador da doença.

    4 – Qual a probabilidade de eu pegar a COVID-19?

    O risco imediato de ser exposto ao novo coronavírus aumenta, à medida que o surto se expande. Casos de COVID-19 e casos de transmissão comunitária estão sendo relatados em todos os estados do Brasil.

    Caso você seja profissional de saúde que cuide de pacientes com COVID-19, ou tenha contato íntimo com pessoas com COVID-19, ou viaje para países onde haja transmissão comunitária, o risco de contágio é elevado.

    5 – Quem está mais vulnerável à COVID-19?

    Pessoas idosas e pessoas com condições médicas pré-existentes (como pressão alta, doenças cardíacas, doenças pulmonares, câncer ou diabetes) estão mais suscetíveis a desenvolver casos mais severos de COVID-19.

    6 - O COVID-19 é transmitido pelo no ar?

    Não, a transmissão acontece de uma pessoa doente para outra ou por contato próximo, por meio de:

    Aperto de mãos (principal forma de contágio)

    Gotículas de saliva

    Espirro

    Tosse

    Catarro

    Objetos ou superfícies contaminadas, como celulares, mesas, maçanetas, brinquedos, teclados de computador etc

    7 - Quanto tempo o vírus sobrevive nas superfícies?

    Não é certo quanto tempo o vírus que causa o COVID-19 sobrevive na superfície. Estudos sugerem que os coronavírus podem persistir nas superfícies por algumas horas ou até vários dias. Isso pode variar sob diferentes condições (por exemplo: tipo de superfície, temperatura ou umidade do ambiente).

    Se você acha que uma superfície pode estar infectada, limpe-a com um desinfetante simples para matar o vírus e proteger a si e aos outros. Limpe as mãos com álcool gel a 70% ou lave-as com água e sabão. Evite tocar nos olhos, boca ou nariz.

    8 - Devo usar uma máscara para me proteger?

    Dados científicos recentes constatam que a transmissão da COVID-19 pode ocorrer mesmo antes do indivíduo apresentar os primeiros sinais e sintomas.

    Por esse motivo, o Ministério da Saúde passou a recomendar o uso de máscaras faciais para todos. A utilização de máscaras impede a disseminação de gotículas expelidas do nariz ou da boca do usuário no ambiente, garantindo uma barreira física que vem auxiliando na mudança de comportamento da população e diminuição de casos.

    Diante da insuficiência de insumos, foi solicitado aos cidadãos para que produzam a sua própria máscara de tecido, deixando as máscaras profissionais (cirúrgica e N95 ou similares) apenas para os profissionais da saúde.

    O uso da máscara caseira ajuda na prevenção da COVID-19 desde que associada a outras medidas de prevenção, como:

    O distanciamento social
    Cumprimento da etiqueta respiratória
    Higienização das mãos

    Caso você opte por confeccionar uma máscara caseira, observe as seguintes recomendações:

    Confeccionar a máscara com pelo menos duas camadas de pano, como algodão ou tricoline ou TNT
    Ser individual
    A máscara deve cobrir totalmente boca e nariz e ficar bem ajustada ao rosto.

    Como usar a máscara caseira:

    • Lave as mãos com água e sabão, antes de retirar a máscara
    • Remova a máscara pelo laço ou nó da parte de trás e evite tocar na parte da frente
    • Deixe a máscara de molho por 30 minutos em uma mistura de 1 parte de água sanitárias (2% a 2,5%)
    • com 50 partes de água potável.
    • Por exemplo: 10ml de água sanitária para 500ml de água potável
    • Lave a máscara e as mãos com água e sabão.
    • A máscara precisa estar seca para ser utilizada de novo
    • Após secagem da máscara utilize o com ferro quente e acondicionar em saco plástico.
    • Trocar a máscara sempre que apresentar sujidades ou umidade.
    • Descartar a máscara sempre que apresentar sinais de deterioração ou funcionalidade comprometida.
    • Ao sinal de desgaste da máscara deve ser inutilizada.