Fonte: OpenWeather

    Pandemia


    'Pneumonia silenciosa': saiba como diferenciar da Covid-19

    Segundo os especialistas, apesar das patologias serem semelhantes, ambas são diferenciadas por meio de exames

    Para diferenciar casos de pneumonia e coronavírus especialistas explicam como a doença se comporta no corpo humano e suas causas | Foto: Divulgação

    Manaus - A pneumonia é uma das complicações mais frequentes nos casos mais graves da Covid-19. A doença é caracterizada como uma infecção que afeta os pulmões podendo ser fatal, particularmente para bebês, crianças e pessoas com mais de 65 anos. De acordo com dados do Ministério da Saúde (OMS), entre os anos de 2015 e 2017 foram registrados cerca de 200 mil óbitos por pela infecção, chegando a uma média de 66,5 mil casos por ano, ou sete por hora. Para diferenciar casos de pneumonia e coronavírus especialistas explicam como a doença se comporta no corpo humano e suas causas.

    A pneumonia pode ser provocada por bactérias, vírus ou fungos microscópicos e apresenta sintomas como tosse com secreção, febre, calafrios e dificuldade respiratória, os sintomas acontecem devido os alvéolos pulmonares ficarem cheios de secreção e líquido, o que torna a respiração dolorosa e limita a absorção de oxigênio.

    Segundo os boletins da Fundação de Vigilância Sanitária (FVS), o Amazonas apresentou 292 casos de pneumonia durante os meses de janeiro e abril, tendo uma queda de 8,17% em relação ao ano anterior, 2019, que registrou nesse mesmo período 318 casos da patologia.

    Popularmente a pneumonia é caracterizada como uma gripe mal curada que pode agravar para casos mais graves e ocasionar óbitos. No entanto, a patologia não se desenvolve dessa maneira, de acordo com o clínico-geral Felipe Fernandes.

    “A pneumonia é um acometimento pulmonar, gripe é um acometimento de vias aéreas superiores, a grosso modo, a garganta. No entanto, a pneumonia é fatal quando este paciente já apresenta um estado grave e acabar vindo a óbito devido a hipóxia (falta de ar) e septicemia (infecção generalizada)”, explicou Fernandes.

    A clínica-geral Renata Sant’Ana, também ressaltou como a pneumonia é associada a gripe. Segundo a médica, as patologias são associadas, pois no início de alguns casos é comum que os primeiros sintomas sejam semelhantes a gripe.

    “A pneumonia tem várias causas, mas ela não pode ser considerada uma gripe mal curada, existem muitos casos. Em um deles pode acontecer que o vírus que provocou a gripe também possa desenvolver a pneumonia. Em outros casos o paciente pode iniciar com um quadro viral e adquirir uma bactéria que vai provocar uma pneumonia, uma vez que o quadro viral já deixou o sistema imunológico mais fragilizado. O que também pode acontecer é os pacientes que estão com pneumonia, mas ainda não sabem e se automedicarem acreditando que fosse uma gripe simples e os sintomas acabam sendo mascarados pelos medicamentos e quando chega o momento de procurar uma orientação médica o quadro já está avançado”, esclareceu a médica.

    Tratamento

    Atualmente a melhor forma de prevenir a patologia por meio da vacinação contra Influenza
    Atualmente a melhor forma de prevenir a patologia por meio da vacinação contra Influenza | Foto: Divulgação

    Segundo Fernandes, geralmente a transmissão de uma pneumonia é por via respiratória sendo por inalação de gotículas de vírus, ou fungos, por exemplo.

    A pneumonia também pode ser tratada por meio de antibióticos. Ainda não existe uma vacina especifica que imunize a população contra a pneumonia, mas existem imunizações voltadas para agentes causadores da pneumonia.

    “A forma mais eficaz de imunizar a população contra a pneumonia é por meio da campanha anual feita pelo SUS referente a imunização contra a Influenza, que protege contra a H1N1, a H3N2 A e B. As pessoas que fazem parte do grupo de risco com mais de 60 anos, idosos, que são mais propícios a desenvolver pneumonia tem o direito de receber a imunização de forma gratuita”, ressaltou Renata.

    Covid-19 X Pneumonia

    Apesar de ter semelhanças com a pneumonia clássica, a Covid-19 apresenta características diferentes e que demandam mais cuidado, como explica a médica clínica.

    "É importante diferenciar as duas patologias, uma vez que a Covid-19 é causada pelo novo coronavírus que apresenta vários sintomas inespecíficos que podem desencadear uma pneumonia, no entanto, A Covid pode provocar outras doenças e a pneumonia não é causada somente por Covid e apesar de parecer semelhantes podem ser diferenciadas por meio de exames específicos”, ressaltou Sant’Ana.

    Segundo a orientação da OMS, os governantes devem investigar casos de pneumonia que podem ser considerados suspeitos de coronavírus antes dos primeiros confirmados. A orientação surgiu após os relatos de que a doença teria surgido na França, em dezembro, bem antes do que se pensava. Para Felipe, a investigação é bem-vinda uma vez que o paciente que é diagnosticado com o vírus pode sofrer de outras patologias.

    “Ambas patologias existem sintomas clínicos bem semelhantes, mas cada uma apresenta uma peculiaridade e por meio de exames de imagem, história clínica detalhada e exames laboratoriais podemos diferenciá-las. Não deixa de ser verdade que podem existir sempre mais de uma doença ativa aumentando assim a mortalidade. Acho que o ponto principal dessa recomendação é que devemos sempre lembrar que mesmo no paciente com Covid podem coexistir doenças pulmonares e devem ser sempre investigadas e tratadas”, finalizou.