Fonte: OpenWeather

    Coronavírus


    Especialista dá dicas de alimentação e economia durante pandemia

    Glauce Galucio, Vice-Presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros aponta seis dicas essenciais para comer bem sem pesar o bolso

    É possível comer bem e gastar pouco? | Foto: Freepik

    Manaus - Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE),  os aumentos ocorrem em um momento de dificuldades para famílias afetadas pela crise do coronavírus. Os maiores crescimentos se deram em produtos relacionados à alimentação em domicílio, que acelerou de 0,22% para 1,40% em março. As maiores altas foram registradas em produtos como cenoura (20,39%), cebola (20,31%), tomate (15,74%), batata-inglesa (8,16%) e ovo (4,67%).

    Os excessos relacionados à alimentação podem acontecer por vários motivos, como ansiedade, falta de tempo, tristeza, alegria e, na verdade, tudo pode virar motivo para comer além da conta. Isso não é um problema só de bem-estar, mas também orçamentário, segundo especialistas.

    Neste cenário, surge outra questão importante. Para comer bem, será que é preciso gastar muito dinheiro? É o que responde Glauce Galucio, Especialista em Educação Financeira e Vice-Presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin).

    Especialista aponta dicas nos comportamentos financeiros
    Especialista aponta dicas nos comportamentos financeiros | Foto: Divulgação

    Ela explica que “ao pensarmos em alimentos saudáveis, tendemos a associar àqueles super conhecidos e que também, em geral, são super caros. No entanto, é possível sim nos alimentarmos bem, sem gastar muito e preservando nossa segurança alimentar através de um estilo de vida saudável.”

    Pensando nessa ideia, a profissional separou seis dicas para comer bem, e o melhor, sem pesar o bolso. Confira abaixo.

    Planeje sua compra: compre o que for necessário e justo

    Dê uma boa olhada no que você tem na despensa e na geladeira. Compre os produtos de acordo com a duração. Este não é apenas um ato de empatia com outros consumidores que também precisam estocar, mas ajuda a evitar o desperdício de alimentos e melhora a economia da sua casa.

    Adote Estilo de vida Saudável: substitua os alimentos

    Prefira legumes e frutas em vez de biscoitos, lanches e doces. De preferência a água do que refrigerantes. Substitua alimentos conforme as propriedades nutricionais, por exemplo, “existem alimentos que possuem as mesmas propriedades dos super caros, mas chegam a custar, até dez vezes menos. Explica a especialista Glauce Galucio”.

    Horta em casa

    É uma ótima opção para comer com saúde e ainda economizar, sem contar que você não precisará mais consumir alimentos com agrotóxicos.

    Fortaleça seu sistema imunológico por meio da alimentação

    Aumente o consumo de frutas e legumes, com pelo menos cinco porções por dia. Eles contêm muitas vitaminas A e C, além de antioxidantes, que ajudarão a combater infecções, opte por frutas da temporada e da sua região, elas são mais acessíveis. Coma legumes pelo menos três vezes por semana, são mais baratos e ajudarão a mantê-lo saudável, porque são ricos em proteínas e ferro.

    Cozinhar em família

    O confinamento em que muitos de nós nos encontramos também é uma oportunidade de cozinhar em casa, fortalecer os laços familiares e introduzir as crianças nessa atividade para que aprendam hábitos alimentares saudáveis desde pequenos.

    Evite desperdício: aproveite as sobras

    Se você cozinhar demais, congele suas refeições para durar mais tempo, para evitar desperdícios, além de ter uma preparação pronta para outra ocasião, sem muito esforço. E ainda fará seu orçamento render. 

    *Com informações da Assessoria