Mudanças


Insônia: veja como dormir melhor na quarentena

Especialistas orientam como acabar com insônia durante a pandemia

Segundo a Associação Brasileira de Sono, cerca de 73 milhões de pessoas do país sofrem com algum distúrbio para dormir | Foto: Reprodução

Manaus –  O momento caótico em que o mundo enfrenta, fez com que muitas pessoas desencadeassem crises de estresse, ansiedade e depressão durante a quarentena. O resultado são muitas noites em claro devido a insônia. Para reverter esse quadro, especialista orienta atividades para recuperar as noites de sono.

Segundo a Associação Brasileira de Sono, cerca de 73 milhões de pessoas do país sofrem com algum distúrbio para dormir. Com a pandemia, o número de brasileiros com o transtorno aumentou. Este é o caso do estudante de jornalismo Marley Henrique, que durante o isolamento passou a ter um aumento nas noites mal dormidas.

“Antes da quarentena era raro eu ter insônia, mas hoje eu costumo ter dificuldades para dormir pelo menos três vezes na semana e isso faz com que no dia seguinte eu fique com um constante cansaço mental e físico, pois passo o dia com sono e pouca vontade de fazer as coisas”, disse.

A dificuldade em realizar as atividades diárias também tem sido presente na rotina da publicitária Cassia Vieira, que já sofre com o distúrbio há três anos. E devido ao isolamento social, as noites mal dormidas se tornaram frequentes.

“Antes de tudo isso acontecer, eu quase não tinha insônia pois o quadro tinha melhorado muito, mas agora todos os dias eu sinto uma grande dificuldade para dormir. Com isso tenho me sentido pouco produtiva no trabalho, mais lenta e cansada o tempo todo. As vezes tenho dificuldade com ações simples e muita falta de atenção”, contou.

Como identificar a insônia?

Identificar quanto tempo demora para adormecer pode ser a primeira forma de identificação
Identificar quanto tempo demora para adormecer pode ser a primeira forma de identificação | Foto: Reprodução

De acordo com a neurologista e especialista em transtorno de sono, Aline Ferreira, existem vários tipos de insônia e a maneira mais fácil de identificar o distúrbio é observar o tempo em que você demora para pegar no sono.

“É considerado insônia quando a pessoa já está preparada para dormir, totalmente relaxa e ao deitar na cama ela demora de 30 a 40 minutos para pegar no sono e o processo deixa de ser natural passando a ser dificultoso e quase obrigatório”, explicou.

A especialista ressaltou, que esse tipo de insônia pode ser considerado como reativa quando a pessoa desencadeia o distúrbio devido alguma emoção que faz com que a mente não consiga entrar em relaxamento.

Como tratar?

Consumo de alimentos leves e quentes antes de dormir
Consumo de alimentos leves e quentes antes de dormir | Foto: Reprodução

Há pequenas atividades que podem ajudar a combater o distúrbio do sono em casa. Ainda de acordo com Aline, a principal delas é que as pessoas busquem seguir uma rotina tal como exerciam antes, a intensidade não será a mesma, mas a prática ajudará o organismo entender quando ele deve descansar.

“Assim como as demais atividades do nosso dia, o sono também deve ser exercido em um horário. Por mais que o momento tenha mudado,  é importante manter uma rotina com o trabalho, atividades domésticas, exercícios físicos no mesmo horário em que era exercido antes da quarentena acontecer”, destacou a especialista.

A neurologista recomendou ainda que não seja feita a execução de atividades físicas momentos antes de dormir, o recomendável é tentar encaixar a prática durante o dia.

“Outra forma de adormecer com facilidade é comer alimentos quentes e leves no jantar ou na última refeição do dia, além de se desconectar das telas do computador e celular pelo menos 30 minutos antes de deitar. Opte por escrever um check list do que fazer no dia seguinte, o ato faz com que você fique menos preocupado com atividades futuras”, orientou Ferreira.

Obrigatoriedade

O sono deve ocorrer de maneira natural, não se cobre
O sono deve ocorrer de maneira natural, não se cobre | Foto: Reprodução

Não faça do sono uma obrigação, a hora do descanso precisa acontecer de maneira natural e seguir o comando do corpo e mente. Forçar o sono pode fazer com o objetivo de descanso não seja alcançado.

“Evite deitar para dormir se não estiver sentindo sono, pensar que você precisa dormir a qualquer custo pode fazer com que você fique ainda mais tenso e não consiga descansar da maneira que o seu corpo precisa”, analisou a neurologista.

A especialista orientou ainda que as pessoas não consumam bebidas alcoólicas com a intensão de que o sono aconteça de maneira mais rápida.

“Isso é uma falsa sensação, a bebida não faz as pessoas sintam sono de maneira instantânea apesar de muitos apresentarem uma sonolência no primeiro consumo, mas logo passará e a consequência virá no dia seguinte, quando perceber que você não está tão descansado quando gostaria, tornando a rotina ainda mais difícil”, alertou Aline.