Fonte: OpenWeather

    Dor


    Dor no ombro? conheça a síndrome do ombro congelado

    Síndroma provoca diminuição gradual da região

    Provoca diminuição gradual da região
    Provoca diminuição gradual da região | Foto: Reprodução

    Manaus-Dor no ombro é a terceira maior queixa de pacientes nos consultórios de ortopedia do Brasil. E um dos problemas que pode estar por trás deste incômodo é a capsulite adesiva, conhecida popularmente como síndrome do ombro congelado, que tem como definição a diminuição progressiva no movimento da região, tornando-a mais rígida, como se estivesse congelada.

    Devido às inúmeras causas do problema, o diagnóstico deve ser realizado com base da história clínica do paciente, após a realização do exame físico e de exames de imagem. Caso haja necessidade, além da consulta com o médico ortopedista, pode ser necessário também o acompanhamento com outros profissionais, como cardiologista e endocrinologista, para saber se está tudo certo com a saúde de forma geral.

    Considerada como uma doença autolimitada, o ombro congelado pode se recuperar sozinho. Porém, é fundamental uma avaliação médica com tratamento adequado para o controle das dores e a preservação da maior amplitude possível de movimento, trazendo mais qualidade de vida ao paciente.

    Assim que é feita a confirmação do problema, o tratamento pode ser iniciado com o uso de medicamentos como analgésicos e anti-inflamatórios, auxiliados com exercícios de fisioterapia.

    “Outras opções que costumam apresentar bons resultados são as infiltrações: aplicações de injeções com medicamentos guiados por ultrassom, capazes de aliviar as dores de forma rápida, evitando e até postergando processos mais invasivos. Entretanto, em casos mais graves e raros em que os métodos conservadores não surtem efeito, pode ser necessária uma última medida cirúrgica”, finaliza o ortopedista. 

    Leia mais:

    Divórcio é contagioso entre amigos? Estudo avalia a hipótese

    'Amazone-se', programa retoma atividades turísticas no Amazonas

    Ponta Negra é novamente interditada após alta de casos de Covid-19