Padronização


Harmonização facial cresce entre influenciadores e celebridades

Exagero em procedimentos estéticos pode esconder baixa autoestima e falta de aceitação

Nos últimos anos, a procura por informações e procedimentos estéticos têm crescido no Brasil, segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica
Nos últimos anos, a procura por informações e procedimentos estéticos têm crescido no Brasil, segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica | Foto: Reprodução Internet

Manaus – Pelas redes sociais, o tema harmonização facial tem sido frequente entre influenciadores digitais e celebridades. A harmonização da face ou orofacial é a técnica de preenchimento em pontos do rosto, baseada na medida entre os ângulos na vertical e horizontal. Em Manaus, além de profissionais que atuam na área, vários adeptos da técnica aproveitam esse momento em que esses procedimentos se popularizaram e se tornaram queridinhos. Os resultados incluem mandíbula mais fina, marcada, com o formato do rosto quadrangular,  maçãs projetadas, mais leveza no buço chinês, preenchimento ou alongamento labial e a redução de rugas ou marcas de expressão.

Apesar de não existir uma pesquisa com números oficiais sobre a quantidade desses procedimentos realizados no Brasil, a internet é considerada um grande aliado para a disseminação dos procedimentos estéticos e por meio de influencers, causa desejo nos seguidores e crescem o número de adeptos. Os efeitos dos novos processos são considerados não invasivos e de rápida recuperação, por não terem a necessidade de cirurgia, ou seja, não há o uso de bisturis e outros instrumentos. 

A contadora, Jomara dos Santos, 40 anos, é uma das pessoas que tornaram a harmonização facial, "objeto de desejo". Ela tem o sonho de afinar o nariz, que segundo a percepção dela, possui as asas largas e a ponta achatada. "Quero muito fazer. Vejo as mulheres que sigo no Instagram ficarem lindas depois do procedimento e isso fortalece a autoestima. Para mim, também é uma alternativa de mudanças no rosto, com menos riscos do que se eu fizesse uma plástica", confessa.

Celebridades

A rainha das plásticas, Maria Gretchen, realizou uma orofacial em 2019. Nas redes sociais, quando seguidores a acusaram de utilizar o Photoshop em suas fotos, a cantora revelou ter realizado a técnica no rosto. Outros artistas, homens e mulheres, também recorreram ao procedimento estético. Veja o antes e depois nas fotos. 

 

A cantora e youtuber, Maria Gretchen, já realizou mais de 35 cirurgias, porém, não confessa a quantidade
A cantora e youtuber, Maria Gretchen, já realizou mais de 35 cirurgias, porém, não confessa a quantidade | Foto: Reprodução Internet

Aumento na procura

A técnica tem conquistado diferentes públicos e idades em todo o Brasil, inclusive em Manaus. A jornalista Beatriz Magalhães, por exemplo, tem 20 anos e já utilizou alguns procedimentos no rosto. A comunicadora fez a rinomodelação, procedimento para mudar a estética do nariz por meio de agulhas, a aplicação de botox na sobrancelha e o preenchimento labial. Os procedimentos estéticos foram realizados em uma clínica especializada em março e ela não se arrepende do resultado.

“Com certeza, fez muita diferença. Eu aplico ácido hialurônico, que é absorvido pelo corpo. A aplicação de botox é para não subir a sobrancelha, não é muito, quase imperceptível. Dependendo do organismo da pessoa, o efeito dura de sete a oito meses”, conta.

Sobre o método, como o organismo absorve a substância e volta ao normal depois de um tempo, ela pretende renovar o processo,  no final do ano. Mesmo voltando aos poucos, a jornalista diz que não fica igual como antes.

Apesar de estar na “flor da idade”, Beatriz relata que não foi influenciada pela tendência nas redes sociais. “Sempre tive vontade de fazer porque me incomodava. Mas o fato de acompanhar e ver que dava certo em outras pessoas, fez com que eu procurasse fazer também”, confessa.

 

Na foto, o antes e depois da rinomodelação de Beatriz
Na foto, o antes e depois da rinomodelação de Beatriz | Foto: Divulgação

Público predominantemente feminino 

A odontóloga Bruna Muniz é habilitada a fazer procedimentos estéticos relacionados ao rosto, de acordo com a  Lei 5.081/1966. Em média, a dentista, que tem um perfil no Instagram com mais de 43 mil seguidores, atende 30 pacientes por semana.  Rinomodelação, preenchimentos, toxina botulínica, popularmente conhecida como botox, e bichectomia, redução das bochechas, são algumas técnicas utilizadas em seu consultório, em Manaus.  

A profissional explica quais métodos são mais pedidos pelos clientes. “Utilizo apenas ácido hialurônico para preencher. Minhas pacientes buscam muito por rinomodelação e bichectomia. A maioria é mulher”, revela.

Uma das pacientes da odontóloga, Bruna Muniz, com o a técnica de preenchimento labial
Uma das pacientes da odontóloga, Bruna Muniz, com o a técnica de preenchimento labial | Foto: Reprodução Internet

A responsabilidade do profissional

A Dra. Bruna confessa que não aceita qualquer pedido antes de analisar para que o paciente não corra nenhum risco. “Já aconteceu de não poder fazer o procedimento, pois a paciente não tinha indicação. O profissional deve ouvir as queixas principais do paciente, planejar o tratamento e orientá-lo sobre as limitações do procedimento e o nível de expectativa que ele pode ter. É sempre importante alertar sobre os exageros, realizar os passos aos poucos e ir verificando os resultados”, argumenta.

Órgão regulador

No dia 29 de janeiro, o Conselho Federal de Odontologia (CFO) autorizou, por meio da Resolução nº 198/2019, que o odontólogo realize a harmonização orofacial, porém, para procedimentos não invasivos, com a utilização da toxina botulínica e de preenchedores.  O CFO regula os dentistas, também com essa técnica, evitando abusos e perigos aos pacientes.

Até que ponto vale a pena arriscar?

No dia 17 de setembro, a jovem Sheyza Ayala, de 22 anos, morreu por conta de uma reação a uma substância, após realizar um procedimento estético clandestino no Paraguai. Sheyza era estudante de estética no País.

Segundo o psicólogo, Alan Araújo, os procedimentos estéticos estão mais acessíveis do que há alguns anos. No entanto, o aumento da procura não está relacionado tanto com a necessidade de mudar. “Essa insatisfação pode ser derivada de questões pessoais não resolvidas, talvez uma baixa autoestima, por exemplo. As pessoas têm dificuldade de se aceitar da forma como são e procuram cada vez mais entrarem no padrão de beleza imposto pela mídia e pela sociedade”, destaca.

A história da jovem Sheyza faz parte de tantas outras que terminam em tragédia por buscarem a ‘perfeição’. Para Araújo, é possível perceber que as vítimas fatais, que buscam melhorar a aparência, já são consideradas com uma beleza desejável. “Estamos caminhando para isso, apesar de ocorrer diversas discussões pela internet sobre beleza, ainda vemos a grande maioria buscando um padrão, um mesmo modelo ideal e deixando a sua naturalidade de lado”, relata.

Padrão X felicidade

Para o psicólogo, o equilíbrio é o ponto crucial para alcançar a satisfação pessoal e a felicidade. “Não sou contra procedimentos estéticos, eles podem ser uma ferramenta de autoaceitação, pois têm pessoas que se sentem satisfeitas e ficam felizes com isso. O problema é quando passam dos limites, na busca pela perfeição, e fazem uma coleção de procedimentos que deveriam ser levados mais a sério, colocando a vida em risco”, alerta.

Caso uma pessoa tenha dificuldades de se aceitar e exalar o amor próprio, o psicólogo aconselha a busca de um profissional para tratar questões internas. “A terapia é sempre útil, ajuda cada um a se compreender melhor, a entender os seus desejos e mecanismos de defesa, para que esses procedimentos sejam realizados de acordo com a necessidade, e não para preencher conflitos internos”, finaliza.

Leia mais:

Mulher é presa por aplicar golpes em uma clínica de estética de Manaus

Botox no dentista? Especialista tira dúvidas sobre uso e aplicação

Mulher que fez luzes no cabelo fica com parte da cabeça necrosada