Fonte: OpenWeather

    Vacina Covid-19


    Vacina contra Covid é 90% eficaz, anunciam Pfizer e BioNTech

    As empresas disseram que esperam pedir autorização para uso emergencial da vacina nos Estados Unidos

     

    Se obtiver a autorização, o número de doses da vacina será limitado inicialmente.
    Se obtiver a autorização, o número de doses da vacina será limitado inicialmente. | Foto: DADO RUVIC / REUTERS Newsletters

    A Pfizer disse nesta segunda-feira (9) que sua vacina experimental contra a covid-19 mostrou ser 90% eficaz na prevenção da doença, com base em dados iniciais de um estudo amplo, numa grande vitória na luta contra a pandemia que matou mais de 1 milhão de pessoas, abalou a economia global e causou impacto no cotidiano das pessoas.

    A Pfizer e sua parceira alemã BioNTech são as primeiras farmacêuticas a anunciarem dados bem-sucedidos de um ensaio clínico em larga escala com uma potencial vacina contra o novo coronavírus. As empresas disseram que, até o momento, não encontraram nenhuma preocupação de segurança com a candidata a imunizante e que esperam pedir autorização para uso emergencial da vacina nos Estados Unidos (EUA) neste mês.

    Se obtiver a autorização, o número de doses da vacina será limitado inicialmente. Uma das questões pendentes é por quanto tempo a vacina fornecerá proteção. No entanto, a notícia divulgada dá esperanças de que outras vacinas em desenvolvimento contra o novo coronavírus também possam se mostrar eficazes.

    "Hoje é um grande dia para a ciência e para a humanidade", disse Albert Bourla, presidente executivo e chairman da Pfizer, em comunicado. "Estamos atingindo esse marco crucial em nosso programa de desenvolvimento de vacina no momento em que o mundo mais precisa, com as taxas de infecção atingindo novos recordes, hospitais ficando superlotados e economias sofrendo para reabrir."

    Leia mais: 

    Fiocruz espera vacinar a população contra a Covid-19 até março

    Maia sugere restrições para quem não se vacinar contra coronavírus

    Mourão contraria Bolsonaro e diz que governo comprará vacina chinesa