Prevenção


Número de óbitos por AVC entre jovens aumenta em 2020

Obesidade, tabagismo, sedentarismo e uso de drogas ilícitas podem ajudar a ocorrer a fatalidade

Entre os principais sintomas do Avc, estão fraqueza, formigamento no rosto, braço ou perna, confusão mental, alterações na fala, compreensão, visão, equilíbrio e dor de cabeça súbita e intensa.
Entre os principais sintomas do Avc, estão fraqueza, formigamento no rosto, braço ou perna, confusão mental, alterações na fala, compreensão, visão, equilíbrio e dor de cabeça súbita e intensa. | Foto: Reprodução Internet

Manaus – O Acidente Vascular Cerebral (AVC), conhecido popularmente como derrame, é uma das principais causas de mortes no país. Em homens e mulheres com menos de 50 anos, o número de óbitos aumentou cerca de 7% este ano em comparação com 2019, a pressão alta é a maior causa de AVC nos mais jovens, conforme dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e Arpen – Brasil. 

Em Manaus, no ano de 2019, foram registradas 1.829 internações por AVC, sendo uma média de 152,42 por mês, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (SEMSA). Apesar de ser conhecida por ocorrer mais no público da terceira idade, o AVC pode acontecer em qualquer idade, dependendo do estilo de vida da pessoa.  

O cardiologista Aristóteles Alencar, explica que entre os jovens o tipo mais comum é o AVC isquêmico, em relação ao número de acidentes do tipo, em mulheres era mais comum devido ao uso de medicamentos. 

“Nessa população, o tipo mais comum é o Acidente Vascular isquêmico, em que não existe rompimento de vasos. Quando rompe é do tipo hemorrágico.  Quando tive a oportunidade de analisar alguns dados, não eram raros os casos de AVC na população abaixo de 50 anos. E era mais comum nas mulheres. Provavelmente o uso de pílulas anticoncepcionais junto com o cigarro, o que se constitui em risco dobrado. Salvo engano, o local de referência aqui em Manaus é o Hospital João Lúcio. O atendimento é muito bom sim”, afirma 

Sintomas

A formação de déficit neurológico súbito, é causado por uma falha nos vasos sanguíneos do sistema nervoso. Entre os principais sintomas do AVC, estão fraqueza, formigamento no rosto, braço ou perna, confusão mental, alterações na fala, compreensão, visão, equilíbrio e dor de cabeça súbita e intensa. 

O cardiologista comentou que existem diversos aspectos que podem contribuir para os riscos, como sedentarismo e o uso de drogas ilícitas. 

“A causa mais comum é a hipertensão arterial não tratada. Fatores de risco associados como obesidade, tabagismo, sedentarismo, uso de drogas ilícitas como cocaína e anabolizantes. Na maior parte das situações a pessoa fica desorientada e fica paralisado de um lado do corpo, sem poder falar. Tem que ser levado urgentemente para o Pronto-socorro”, relata. 

O AVC pode ser dividido em dois tipos: isquêmico, causado pela falta de circulação em uma área do cérebro provocada por obstrução de uma ou mais artérias por ateromas, trombose ou embolia, nesses casos, ocorrendo principalmente em pessoas com diabetes, colesterol elevado e fumantes. E o outro é o hemorrágico, onde há um sangramento cerebral provocado pelo rompimento de uma artéria ou vaso sanguíneo, causado pela hipertensão arterial. 

Prevenção 

A principal causa do AVC é a hipertensão, com o aumento da pressão dificultando a passagem de sangue pelas artérias. 

Segundo Alencar, existem formas de prevenção que podem colaborar para que não ocorra o acidente, como a consulta médica e, para mais idosos a utilização de medicamentos corretamente. 

“Filhos de pais hipertensos devem começar cedo a pesquisa de doenças, por meio de consulta médica. Medir a pressão, fazer exames de sangue.  Se for hipertenso, tomar a medicação corretamente. Praticar atividades físicas regularmente, não fumar e não usar drogas”, comenta.

Leia Mais:

Médicos apontam riscos em se tomar semaglutida para emagrecer

Cardiopatas não precisam parar tratamento se pegarem Covid, diz estudo

Avaliação de colesterol: quando fazer e quais as taxas ideais?