Fonte: OpenWeather

    Vacinação


    Ministro da Saúde anuncia que vacinação pode começar logo

    O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse em entrevista à Rede CNN, que a vacinação contra Covid-19 no Brasil com o imunizante desenvolvido pela Pfizer/BioNTech pode começar entre dezembro e janeiro.

    | Autor:
      

    Brasília (DF) - O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse  em entrevista à Rede CNN, que a vacinação contra Covid-19 no Brasil com o imunizante desenvolvido pela Pfizer/BioNTech pode começar entre dezembro e janeiro.

    "Se a Pfizer conseguir a autorização emergencial e nos adiantar alguma entrega, o início da vacinação pode acontecer no final de dezembro ou em janeiro. Isso em quantidades pequenas, de uso emergencial. Estamos fechando o memorando de entendimento com a Pfizer. É a vacina que está mais adiantada, mas mesmo assim, ela ainda não tem registro", afirmou.

    Leia também: Se Anvisa aprovar, governo vai ofertar vacina a todos, diz Bolsonaro

    Outras vacinas

    O Ministro da saúde buscou tranquilizar os brasileiros em relação a vacinação
    O Ministro da saúde buscou tranquilizar os brasileiros em relação a vacinação | Foto: Reprodução CNN

    O ministro não descartou que isso aconteça também com as candidatas da AstraZeneca/Oxford ou do Instituto Butantan. No entanto, esse prazo valeria apenas no caso de uma autorização emergencial.

    Para obtenção do registro, dependeria do desenvolvimento e da aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Nesse caso, a aplicação poderia acontecer já entre janeiro e fevereiro, disse Pazuello. 

    Pazuello garantiu que, se a Coronavac receber o aval da agência reguladora, ela será usada no plano de imunização. "A vacina que estiver registrada na Anvisa e garantida sua eficácia e segurança será comprada e distribuída para todos os brasileiros", afirmou.

    Plano de vacinação da população

    Pazuello também cedeu ao âncora da CNN Kenzô Machida o plano de operacionalização da vacina contra Covid-19 no Brasil, que foi finalizado nesta quarta. Segundo ele, é um documento de 95 páginas que detalha a distribuição da imununização.  "O plano já tem tudo o que interessa para manter o Brasil imune do coronavírus de forma nacional. Nosso país jamais será dividido", disse.

    * Com informações da CNN Brasil.

    Leia mais:

    Wilson Lima diz que já elabora plano de distribuição de vacinas no AM

    Últimas notícias do Portal EM TEMPO