Fonte: OpenWeather

    Pandemia


    Coronavírus: OMS diz estar acompanhando nova mutação

    Acredita-se que nova variante do coronavírus se espalhe mais rapidamente, mas não seja mais letal

    A mutação está se espalhando mais rapidamente do que a versão original | Foto: divulgação

    A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse estar em contato com as autoridades britânicas sobre o surgimento de uma nova variante do coronavírus.

    A mutação está se espalhando mais rapidamente do que a versão original, mas não é considerada mais letal.

    Grandes partes do sudeste da Inglaterra, incluindo Londres, estão agora sob um nível de restrição mais severo em uma tentativa de conter o vírus que se espalha rapidamente.

    Não há evidências que sugiram que a nova variante reaja de maneira diferente às vacinas.

    No domingo, a Holanda proibiu voos de passageiros do Reino Unido por causa da nova mutação. A proibição permanecerá em vigor até 1º de janeiro, disse o governo holandês.

    A mudança ocorre depois que a Holanda encontrou, em um caso de coronavírus no início deste mês, a mesma mutação encontrada no Reino Unido.

    Enquanto se aguarda "maior clareza" sobre a situação no Reino Unido, o governo holandês afirmou que "o risco de a nova cepa do vírus ser introduzida na Holanda deve ser minimizado tanto quanto possível".

    O governo holandês também disse que trabalhará com outros estados membros da União Europeia nos próximos dias para "limitar ainda mais o risco de a nova cepa do vírus ser trazida do Reino Unido".

    O que se sabe sobre a nova mutação?

    A OMS tuitou que estava em contato com autoridades do Reino Unido sobre a nova mutação.

    O órgão afirmou que o Reino Unido estava compartilhando informações de estudos em andamento sobre a mutação, e que a OMS atualizaria os Estados membros e o público "à medida que aprendermos mais sobre as características desta variante do vírus [e] quaisquer implicações".