Fonte: OpenWeather

    Pandemia


    Variante da Covid-19 tem 2 casos confirmados no Brasil

    A variante nomeada de B 1.1.7 foi descoberta no Reino Unido e já responsável por uma aumento significativo de casos na Alemanha e Suécia

     

    Modelo 3D criado pela Visual Sciencere, presentando o novo coronavírus
    Modelo 3D criado pela Visual Sciencere, presentando o novo coronavírus | Foto: Reprodução/Visual Science

    Manaus - Pesquisadores do laboratório diagnóstico DASA, confirmara, na manhã desta quinta-feira (31), que encontraram a variante B 1.1.7 do Coronavírus (Covid-19), em dois pacientes de São Paulo. A cepa alternativa foi detectada pela primeira vez no Reino Unido, mas já existe também em países como Chile e Itália. 

    Cientistas britânicos estimam que a B 1.1.7 pode ser de 50% a 74% mais contagiosa. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 50% dos novos casos no Reino Unido,  surgiram da nova variante. 

    Com a aparição dessa nova forma, muitas dúvidas surgem, como, por exemplo, "a variante pode ser mais letal?",  "Ela é mais transmissível?". A médica infectologista Ana Galdina responde algumas dessas questões. 

    A nova forma do Coronavírus é algo atípico no meio científico? 

    "Ter uma variante não é incomum. Elas desenvolvem proteínas que diferem do vírus inicial e, por isso, são chamadas de variantes. Inúmeras doenças sofrem essas mudanças, como a dengue, por exemplo. Temos o tipo 1, 2 e 3 da dengue. Isso acontece por conta das cepas diferentes, por conta das modificações nas proteínas. A mudança é natural nos vírus" diz a médica infectologista, Ana Galdina

    Os estudos que estão sendo realizados no Reino Unido também serão avaliados pela OMS e pelo restante da comunidade científica ao redor do mundo. Mas até agora não foi constatada uma maior agressividade da doença. 

    Então, qual seria a diferença da nova variante para a primeira forma do Coronavírus? Ana Galdina explica o que mudou.  

    "Os estudos que temos sobre essa variante, é que ela possui uma transmissibilidade maior, mas até agora não temos informações que indiquem que ela possui uma maior virulência. Essa maior facilidade de transmissão pode explicar a curva de crescimento exacerbada dos casos."

     

    A infectologista reforça os cuidados de prevenção contra a covid-19
    A infectologista reforça os cuidados de prevenção contra a covid-19 | Foto: Reprodução

    Desde o surgimento da Covid-19, profissionais da saúde em todo o planeta se dedicaram dia e noite, para o desenvolvimento de uma vacina eficaz contra a doença. Essa variante colocaria a perder, todo o esforço e trabalho dedicado?  

    "As informações que nós temos são que o aparecimento desta cepa não prejudicaria a eficácia da vacina. Mas no mundo viral, tudo é instável, amanhã podemos ter um cenário diferente. Por isso, prevenção é a palavra-chave." diz a especialista. 

    Os estudos feitos pelo Laboratório Diagnóstico DASA, que identificaram a variante no Brasil, contaram também com o apoio do Instituto de Medicina Tropical da Universidade de São Paulo (USP).

    Leia mais: 

    EUA vão exigir teste negativo a passageiros do Reino Unido  

    Média de mortes diárias por Covid-19 no Brasil sofre queda após 7 dias 

    Amazonas se aproxima dos 200 mil casos de Covid-19