Fonte: OpenWeather

    Janeiro Branco


    Epidemia oculta: saúde mental na era do novo coronavírus

    Janeiro branco: 80% dos brasileiros se tornaram mais ansiosos em meio à pandemia

    Luto, isolamento e perda de renda são alguns dos fatores que desencadearam problemas de saúde mental em 2020 e que podem perdurar em 2021 | Foto: Divulgação

    Manaus (AM) - Cuidar da mente, é cuidar da vida. Ansiedade, depressão, estresse, solidão, cansaço. O domínio de problemas como esses na população mundial é às vezes descrita como epidemias dos tempos atuais. Em 2020 e 2021, diante dos enormes efeitos sanitários, sociais e econômicos por conta da pandemia da Covid-19, essas ameaças à saúde mental se mostraram ainda mais urgentes.

    Em 2021, a campanha do ‘Janeiro Branco’, uma campanha brasileira, que foi criada com o objetivo de chamar a atenção das pessoas para a necessidade de cuidar da saúde mental, se torna ainda mais relevante e necessária devido a segunda onda da Covid-19 no Amazonas.

    De acordo com pesquisa da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFGRS), 80% dos brasileiros se tornaram mais ansiosos em meio à pandemia da covid-19. A Organização Mundial da Saúde (OMS) também traz outro dado preocupante: a depressão atinge 5,8% dos brasileiros, taxa que está acima da média global, que é de 4,4%. 

    Para a psicóloga clínica, Karla Mendonça, é importante manter o cuidado e saber dosar o equilíbrio de todas as coisas, fazer um check list do que vem ocorrendo com os sintomas do corpo e também da mente. Buscar se informar, mas de maneira equilibrada e o isolamento deve ser realizado, mas, se possível, tentar manter os relacionamentos via ligação ou via chamadas de vídeo.

    “Neste momento é extremamente importante a necessidade de manter os cuidados para evitar o contágio por conta da Covid-19, mas manter a prevenção de doenças mentais também se torna uma urgência de saúde. Em primeiro momento a sobrecarga de informações negativas podem acarretar desenvolvimento de sintomas ansiosos, ou pânico. O isolamento realizado de maneira inapropriada pode provocar solidão ou doenças depressivas”, explica.

     

    Para a psicóloga clínica, Karla Mendonça, é importante manter o cuidado e saber dosar o equilíbrio de todas as coisas
    Para a psicóloga clínica, Karla Mendonça, é importante manter o cuidado e saber dosar o equilíbrio de todas as coisas | Foto: Divulgação

    Avaliar se existem sintomas emocionais que estão atrapalhando a rotina, como medo, ansiedade, tristeza, é a orientação da especialista. É preciso buscar ajuda profissional com um psicólogo.

    “Procure se conectar mais emocionalmente com a família e amigos.  Foque em exercícios físicos, pois eles também trazem impacto no bem-estar da mente. Dê foco em alimentos saudáveis que produzam sensações de bem-estar, em atividades que são geradoras de alegria, como leituras, filmes ou séries. Desfoque a mente de excesso de informação que não ajuda no bem-estar. Não é estar alheio ao que vem ocorrendo, mas filtrar o impacto disto na mente. Entenda que os relacionamentos são fundamentais para a saúde mental”, ressalta.

    Luto, Isolamento e Perda de Renda

     

    A psicóloga destaca que os idosos são o grupo de maior risco e, por consequência, merecem atenção especial
    A psicóloga destaca que os idosos são o grupo de maior risco e, por consequência, merecem atenção especial | Foto: Divulgação

     Luto, isolamento e perda de renda são alguns dos fatores que desencadearam problemas de saúde mental em 2020 e que podem perdurar em 2021. A psicóloga destaca que os idosos são o grupo de maior risco e, por consequência, merecem atenção especial.

    “Ouvir um idoso é o primeiro passo, seja por qualquer via de comunicação. Nossa sociedade hoje tem dificuldade de se desconectar e escutar, olhar e isso é fundamental. Ouça as histórias e interaja com eles. Ajude nas atividades para que eles não possam precisar de expor”, orienta.

    Crianças também merecem atenção

    Um novo estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Cambridge descobriu que o lockdown imposto pelo governo em resposta à pandemia de coronavírus causa danos significativos à saúde mental das crianças. O estudo, publicado esta semana no Archives of Disease in Childhood, foi o primeiro a analisar dados sobre a saúde mental de crianças mais novas antes e durante o primeiro lockdown no Reino Unido, na primavera passada (entre março e junho).

    “Faça atividades lúdicas, brincadeiras, jogos, que tragam sensações de bem-estar. Tem que desenvolver a criatividade nessa hora para que a criança não esteja 100% conectada com meio eletrônico. Estabeleça uma rotina e atividades diárias”, orienta Mendonça.

    Ciência comprova os benefícios da fé para a mente

     

    Pesquisas mostram que fiéis são mais felizes
    Pesquisas mostram que fiéis são mais felizes | Foto: Divulgação/ Chama Church

    Inúmeros estudos apontam que a fé traz benefícios para a saúde física e mental. Trata-se de conjunto de valores morais, mentais e emocionais que norteiam pensamentos, comportamentos e atitudes e que podem ter conexão direta com Deus por meio da fé.  As pesquisas mostram que fiéis são mais felizes, vivem mais, conseguem combater doenças e superar adversidades com mais facilidade.

    “A fé é um remédio poderoso para a saúde mental, pois ela é fonte de esperança, por meio da fé você enxerga sempre uma luz no fim do túnel. Ela traz alento e forças para continuar vivendo e lutando”, revela o apóstolo da Chama Church, Richard Mattos.

    Cientistas das universidades americanas de Columbia e Yale demonstraram recentemente que o estado de conexão com algo maior, seja pela experiência religiosa ou não, está associado a uma menor atividade da região parietal do cérebro. Ao alcançar esse estado de consciência, a pessoa apresenta um adormecimento de uma região fortemente vinculada à percepção de si mesmo e dos outros.

     

    Para o apóstolo Richard Mattos, a fé beneficia o corpo e a mente, porque ela reestrutura sentimentos, pensamentos e comportamentos
    Para o apóstolo Richard Mattos, a fé beneficia o corpo e a mente, porque ela reestrutura sentimentos, pensamentos e comportamentos | Foto: Arquivo pessoal

    Fé, mente e corpo

    Um estudo populacional feito em 2001 pelo Centro Nacional de Adição e Abuso de Drogas dos EUA constatou que adultos que não consideram religião importante em suas vidas consomem muito mais álcool e drogas do que os que acham os credos relevantes e tem uma vida muito mais desregrada no que diz respeito à saúde. É a versão real dos Simpsons: Homer Simpson faz pouco de qualquer fé, é obeso e alcoólatra. Já seu vizinho religioso, Ned Flanders, é regrado, tem saúde perfeita e corpo sarado.

    Para o apóstolo, a fé beneficia o corpo e a mente, porque ela reestrutura sentimentos, pensamentos e comportamentos. “Todos nós somos fruto desses fatores internos, logo a fé influencia na minha autoestima. Se tenho uma fé de que terei uma vida longa e feliz me cuidarei para poder desfrutá-la da melhor maneira possível”.

    “Uma paz inexplicável”

     

    Mattos afirma que o grande segredo de encontrar Deus na tempestade é buscá-lo com sinceridade
    Mattos afirma que o grande segredo de encontrar Deus na tempestade é buscá-lo com sinceridade | Foto: Divulgação/ Chama Church

    Mattos afirma que o grande segredo de encontrar Deus na tempestade é buscá-lo com sinceridade. Você vai encontrar nessa busca uma paz inexplicável e uma confiança poderosa. “Não vemos o vento e podemos sentir quando ele chega, não vemos o oxigênio, mas sofremos quando ele nos falta. A Bíblia diz: buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração”.

    Leia Mais

    Excesso de trabalho e pandemia podem desencadear Síndrome de Burnout

    Alerta: três pessoas cometeram suicídio no Ano Novo, em Manaus

    Número de óbitos por AVC entre jovens aumenta em 2020