Fonte: OpenWeather

    Pandemia


    China estima 2 meses para atualizar vacina da covid para nova cepa

    Estudo surgiu após mutação do novo coronavírus na África do Sul e Reino Unido; o temor é que a vacina distribuída não seja eficiente contra essas novas cepas

     

    A Moderna Inc. disse que testaria uma nova injeção de reforço dirigida à variante sul-africana
    A Moderna Inc. disse que testaria uma nova injeção de reforço dirigida à variante sul-africana | Foto: Divulgação


    O Governo Chinês relatou nesta terça-feira (26) ao jornal Global Times, pelo cientista do China CDC, Shao Yiming, que as vacinas produzidas contra o novo coronavírus podem ser atualizadas para conter as novas cepas do vírus em cerca de dois meses. 

    O estudo está sendo feito porque existe a preocupação de que as vacinas desenvolvidas em 2020, para conter o avanço da covid-19, seja mais fraca contra a nova cepa descoberta na África do Sul e no Reino Unido. 

    Na segunda-feira (25), a Moderna Inc. disse que testaria uma nova injeção de reforço dirigida à variante sul-africana, após concluir que a resposta do anticorpo pode ser diminuída.

    No caso da vacina Coronavac, produzida pela Sinovac, laboratório chinês, em parceria com o Instituto Butantan em São Paulo, o Shao Yiming diz que se for necessário uma atualização para vacina contra a covid-19 inativada da China, o processo pode ser concluído em cerca de dois meses. A afirmação foi dada em entrevista ao Global Times. 

    A atualização dos imunizantes inativados pode demorar mais do que as vacinas baseadas na tecnologia de RNA mensageiro (mRNA), que não requer o cultivo e a inativação do vírus, de acordo com Shao, que participa de revisões técnicas das vacinas Covid-19 da China.