Fonte: OpenWeather

    Saúde


    Pesquisa vai identificar casos de covid e síndromes gripais em Manaus

    A Prefeitura de Manaus está capacitando 1.200 Agentes Comunitários de Saúde (ACS) com foco na intensificação da busca ativa de casos suspeitos de Covid-19 e outras síndromes gripais.

     

    A busca ativa será realizada por meio de visitas domiciliares ou ligações telefônicas (no caso de agentes comunitários que integram o grupo de risco) e vai contemplar grupos de idosos, mulheres grávidas, portadores de doenças e agravos crônicos, obesos e demais usuários.
    A busca ativa será realizada por meio de visitas domiciliares ou ligações telefônicas (no caso de agentes comunitários que integram o grupo de risco) e vai contemplar grupos de idosos, mulheres grávidas, portadores de doenças e agravos crônicos, obesos e demais usuários. | Foto: Divulgação

    Manaus (AM) - A Prefeitura de Manaus está capacitando 1.200 Agentes Comunitários de Saúde (ACS) com foco na intensificação da busca ativa de casos suspeitos de Covid-19 e outras síndromes gripais. O prefeito de Manaus, David Almeida, explica que os ACSs são estratégicos para a identificação precoce de casos frente a um problema sanitário mundial, que exige ações assertivas do poder público. “A busca ativa é um apoio fundamental, porque os agentes comunitários vão priorizar os grupos de risco, trabalhando para que sejam logo atendidos em um esforço para impedir a forma grave da doença”, destaca.

    A capacitação, iniciada nesta quarta-feira, 24/2, é uma iniciativa da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), por meio da Escola de Saúde Pública de Manaus (Esap), em parceria com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) e o Ministério da Saúde.

    A diretora do Departamento de Atenção Primária da Semsa, Sonja Ale Farias, informa que o curso vai fortalecer o trabalho já realizado pelos agentes comunitários. “Estamos usando essa estratégia para descobrir precocemente os casos de Covid-19 e síndromes gripais, para o diagnóstico e o tratamento precoces. Além de verificar a situação do usuário, o ACS também analisa a situação de toda a família dele”, explica.

    Equipamentos

    A Opas, em conjunto com o Ministério da Saúde, fez a doação de equipamentos para auxiliar na identificação de sinais e sintomas de síndromes gripais e Covid-19 durante a busca ativa, como oxímetros (que permitem saber a quantidade de oxigênio presente no corpo do paciente), termômetros e coletes de identificação, para os profissionais de saúde que atuam na ponta do sistema.

    A aula inaugural da capacitação dos ACSs aconteceu no auditório Deodato de Miranda Leão, da Semsa, zona Centro-Sul, com a participação de representantes de departamentos, gerentes, técnicos de Educação Permanente dos Distritos, respeitando as medidas sanitárias de proteção.

    A dinâmica da formação seguirá de maneira remota, para alcançar a totalidade dos agentes comunitários, por meio de videoaulas a serem disponibilizadas no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) da Esap, devido ao cenário epidemiológico atual.

    O curso é composto de duas videoaulas e notas técnicas da Semsa, que fundamentam a atuação dos profissionais de saúde da ponta.

    Fluxo

    A busca ativa será realizada por meio de visitas domiciliares ou ligações telefônicas (no caso de agentes comunitários que integram o grupo de risco) e vai contemplar grupos de idosos, mulheres grávidas, portadores de doenças e agravos crônicos, obesos e demais usuários.

    Ao fazer contato com esses grupos, o ACS aplica um questionário para identificação de sinais e sintomas compatíveis com síndromes gripais e Covid-19, orientando os usuários conforme a situação apresentada. Os dados são registrados no sistema e-SUS Notifica.

    Os casos suspeitos e confirmados são encaminhados às unidades de saúde, conforme o estágio da doença.

    Há 21 anos atuando como agente comunitária, no Distrito de Saúde (Disa) Norte, Maria Isolina Pereira Rodrigues explica que a capacitação mostrou a importância da aplicação do check-list, que reúne uma série de perguntas sobre o estado de saúde do usuário no trabalho que realiza, focadas na identificação de síndromes gripais e Covid-19.

    “São perguntas como ‘você está com gripe? teve febre? o nariz está escorrendo?’, que permitem que a gente ajude no encaminhamento desse usuário para a rede. Às vezes são sintomas que não parecem Covid-19, mas depois a doença é confirmada, por isso é muito importante essa capacitação”, assegura.

    *Em Tempo com informações da assessoria

    Leia mais:

    Consumo de peixe causa 'doença da urina preta' em irmãs

    Fiocruz desenvolve teste que identifica variantes do novo coronavírus

    Anvisa anuncia registro definitivo de vacina da Pfizer no Brasil