Fonte: OpenWeather

    VACINAÇÃO


    Governo Federal decide parar de divulgar cronograma de vacinação

    O Ministério da Saúde decidiu que não irá mais divulgar a previsão de doses que espera receber a cada mês

     

    Cidades como Belo Horizonte e o Distrito Federal já tiveram que interromper suas campanhas por falta de vacinas
    Cidades como Belo Horizonte e o Distrito Federal já tiveram que interromper suas campanhas por falta de vacinas | Foto: Agência Brasil

    Brasil - O  Ministério da Saúde decidiu que não vai mais divulgar a previsão de doses que espera receber a cada mês dos imunizantes contra a Covid-19. O ministério argumenta que esses dados devem ser coletados, agora, diretamente com os fabricantes, e que não vai mais torná-los públicos

    O governo federal está sob pressão para ampliar o ritmo de vacinação em todo o país. Algumas cidades já interromperam a campanha de imunização por falta de imunizantes. Cidades como Belo Horizonte e o Distrito Federal já tiveram que interromper suas campanhas por falta de vacinas.

    Pela previsão de fevereiro, o Brasil encerraria o mês de março com 68 milhões de imunizantes distribuídos. Segundo dados dessa quinta-feira (8), porém, foram entregues 45,2 milhões de doses.

    Os principais acordos do Brasil são com o Instituto Butantan e Fiocruz, que entregam a CoronaVac e vacina de Oxford/AstraZeneca. A produção desses laboratórios depende, principalmente, da entrega de insumos, que vem do exterior, ao país.

    O Butantan afirmou que vai entregar ao governo federal 46 milhões de vacinas até o fim deste mês, somando o volume já distribuído (38,2 milhões). Já a Fiocruz espera enviar 26,5 milhões de vacinas até o começo de maio.

    *Com informações via IG Saúde


    Leia mais

    Covid-19: variante Eek é causa da maioria de casos em hospital japonês

    Covid-19: Centro de vacinação na Itália é atacado e incendiado

    Pandemia impacta vida de pessoas com autismo e requer mudanças