Fonte: OpenWeather

    CUIDADO ANIMAL


    Cachorros e gatos podem ter insuficiência renal; veja como tratar

    A médica veterinária Ylla Biavatti esclareceu dúvidas sobre a doença nos pets e contou como manter o cuidado certo para esses animais

     

    Assim como nos humanos, a doença afeta o sistema renal, comprometendo a função do órgão de filtrar o sangue e produzir urina
    Assim como nos humanos, a doença afeta o sistema renal, comprometendo a função do órgão de filtrar o sangue e produzir urina | Foto: Think Stock

    Manaus - A insuficiência renal é uma doença que atinge mais de 10 milhões de brasileiros atualmente, sendo responsável por prejudicar o funcionamento dos rins e podendo causar até a morte. Por ser bastante comum, muitos não sabem que a enfermidade não se limita a humanos, podendo também atingir cães e gatos.

    Assim como nos humanos, a doença afeta o sistema renal, comprometendo a função do órgão de filtrar o sangue e produzir urina, causando bastante incômodo ou até mesmo dor abdominal nos bichos de estimação.

    Segundo a médica veterinária Ylla Biavatti, saber reconhecer os sintomas é o primeiro passo para um tratamento eficaz.

     

    Os animais precisam manter uma rotina de cuidados
    Os animais precisam manter uma rotina de cuidados | Foto: Divulgação
    "

    Se o animal beber muita água, urinar muito, ou ter dificuldade de urinar, vômito, mau hálito, dor abdominal, alteração da cor da urina, etc...É possível também identificar através de exames laboratoriais, exames de imagem também. "

    ,

     

    Já as causas da enfermidade podem variar, como idade avançada e problema de saúde preexistentes. No entanto, a que mais preocupa é a por intoxicação, pois ela acontece com frequência, principalmente com pets curiosos que consomem plantas venosas por acidente. Essas causas podem definir qual tipo de insuficiência os animais tem. 

    Casos agudos e crônicos

     

    Ambos possuem dois tipos de insuficiência
    Ambos possuem dois tipos de insuficiência | Foto: Shutterstock

    Ainda de acordo com Biavatti, a doença se divide em tipos agudos e uma versão crônica da enfermidade. No primeiro, um dos grandes fatores é a existência  de patologias já existentes, como um problema cardíaco, por exemplo.

    "Quando existe alguma patologia de base e começa a afetar o sistema renal por poucos dias ou poucas semanas, na maioria é reversível", diz. "Já a crônica pode ser por deficiência genética alteração no bioquímico (minerais e proteínas), quando já existe mais de 75% de perda renal", acrescenta.

    A versão crônica da insuficiência renal em animais atualmente não tem cura. No entanto, um tratamento é mantido para deixar a vida do pet mais agradável. A recomendação é seguir com uma alimentação que reduza o trabalho dos rins e tomar os medicamentos e suplementos com responsabilidade

     

    Shih-tzu está entre uma as raças com tendência
    Shih-tzu está entre uma as raças com tendência | Foto: Divulgação

    Apesar de a doença afetar cães e gatos igualmente, algumas raças apresentam uma tendência maior a problemas renais, como os shih-tzu, poodles, pugs e os Lhasa apso. Independente do caso, o ideal é mantém os mesmos cuidados de alimentação balanceada, além de muita água e os exames em dia.

    Felinos e a água

    Os cães normalmente já consomem muita água, por isso, quando diagnosticados os donos conseguem manter ou até mesmo aumentar esse consumo conforme a necessidade do sistema renal. Por outro lado, os gatos são um desafio. Além da aversão comum a banhos e consequentemente a água, os bichanos tomam pouquíssimos líquidos.

     

    Profissional recomenda alimentos úmidos para gatos
    Profissional recomenda alimentos úmidos para gatos | Foto: Divulgação

    "Para os felinos sempre indicamos uma alimentação mais úmida, como os sachês ou até mesmo uma alimentação natural prescrita por um nutricionista veterinário", explica.

     

    "Indicamos também fontes de água, já que gato não gosta de beber água parada e suja", diz a profissional.

    Apesar de se identificado com antecedência o pet conseguir viver normalmente com a doença, seguindo o tratamento, nem sempre isso é possível e, diferente dos humanos, o transplante ainda é algo distante.

    Leia mais

    Projeto em Manaus prevê captura, esterilização e marcação de animais

    Cães e gatos também podem sofrer com a depressão

    Projeto implanta serviço com castramóvel e faz doação de ração no AM