Fonte: OpenWeather

    Saúde no AM


    Amazonas realiza força-tarefa para combate à hanseníase no interior

    A autorização foi concedida pelo Governo do Amazonas

     

    A primeira força-tarefa está agendada para o período de 12 a 29 de julho, no Careiro Castanho
    A primeira força-tarefa está agendada para o período de 12 a 29 de julho, no Careiro Castanho | Foto: Reprodução

    Manaus – A hanseníase é uma doença crônica, causada por uma bactéria e que pode afetar qualquer pessoa. Ela altera, diminui ou retira a sensibilidade térmica, dolorosa, tátil e força muscular, principalmente em mãos, braços, pés e pernas.

    Foi autorizada uma força-tarefa para execução do Projeto Ação para Eliminação da Hanseníase – Apeli em municípios do interior do estado.

    Nesta primeira etapa, a Fundação Alfredo da Matta (Fuam), órgão ligado à Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) e que coordena a iniciativa, tem como meta visitar quatro municípios do interior do estado, no segundo semestre deste ano de 2021. A autorização foi concedida pelo Governo do Amazonas.

    A primeira força-tarefa está agendada para o período de 12 a 29 de julho, no Careiro Castanho, município distante 88 quilômetros de Manaus, na Região Metropolitana.

      Além da visita ao Careiro Castanho, outros três locais devem receber equipes da Fuam até o final de 2021: Lábrea, em setembro; Novo Aripuanã, em outubro; e São Gabriel da Cachoeira, em novembro.  


    A medida tem como objetivo reduzir a carga da hanseníase no Amazonas, com vistas a sair de uma situação de alta endemia para baixa endemicidade. A iniciativa visa a detecção precoce de novos casos de hanseníase para início de tratamento imediato, com a quebra da cadeia de transmissão.

      O diagnóstico precoce também eleva as chances do paciente não desenvolver deformidades, garantindo maior qualidade de vida a esse paciente.  

    De acordo com a realidade e situação epidemiológica de cada localidade, serão definidas as atividades a serem realizadas num determinado período, com metas a serem cumpridas pelas equipes – como, por exemplo, um percentual da população a ser examinada para uma efetiva busca de novos casos de hanseníase, uma das principais estratégias do Apeli.

    Dentre as ações previstas, além da busca ativa de novos casos de hanseníase, serão realizados exames dermatológicos em contatos de pacientes (ou seja, aquelas pessoas que mantém convívio com um paciente); treinamento para profissionais de saúde sobre hanseníase; monitoramento dos casos notificados pelo município; atividades educativas para a população; dentre outras ações para a manutenção da vigilância epidemiológica e busca ativa de casos novos na localidade visitada.

    Retorno

    As ações de combate à hanseníase executadas pela Fuam nos municípios do interior tiveram que ser interrompidas em 2020, devido à pandemia de Covid-19, que ocasionou a suspensão do deslocamento de profissionais aos municípios e comunidades. O início do Apeli que estava programado para aquele ano teve que ser adiado.

    Neste novo momento da pandemia, com vacinação em massa de profissionais da saúde e de vários grupos da população, a Fuam planeja a retomada das ações, sempre atentando aos cuidados sanitários necessários.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais: 

    Diagnostico de hanseníase ganha reforço na zona Rural de Manaus 

    Em Rio Preto, testes de tuberculose e hanseníase são oferecidos