Fonte: OpenWeather

    Plantas medicinais


    Jambu, planta da Amazônia é rica em ferro e vitamina C

    A planta do jambu possui propriedades científicas comprovadas. Saiba mais:

     

    | Foto: Divulgação

    O jambu é uma planta muito comum na região Norte do Brasil, principalmente no Amazonas e Pará, sendo utilizada na culinária em saladas, molhos. Mas a fama da erva, ainda reside no fato dela estar presente no preparo do tacacá, um prato típico da região, de origem indígena, muito consumido pela população local. Também é encontrado no pato no tucupi, prato da culinária paraense. As informações são do Portal Meu Amazonas.

    O nome científico do jambu é Spilanthes oleracea e pode ser encontrado em mercados, feiras livres, lojas de produtos naturais ou em lojas online na forma de planta ou óleo essencial.

    De acordo com a pesquisadora Mônica Trindade Abreu de Gusmão, doutora em Agronomia e docente da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), que há anos estuda as características, cultivo e produção do Jambú, a planta possui vários benefícios. “É um alimento rico em ferro e vitamina C. As característica físico-químicas demonstram que em cada 100g de ramos, folhas e inflorescências do Jambú são encontrados mais de 80% de água, além de carboidratos, lipídios, proteínas, ferro, vitaminas, sais minerais e fibras”, explica.

    Conhecimento tradicional

    As propriedades podem ajudar a aliviar sintomas, assim como o uso de outras hortaliças. “ O conhecimento tradicional indica o jambu utilizado como produto fitoterápico em fortificantes, estimulador de apetite, antiinflamatório, antihelmintico, analgésico, diurético, anestésico bucal, estimulante sexual , dentre outros. Mas ainda existem poucas pesquisas sobre aplicação farmacológica”, explica a pesquisadora.

    Óleos essenciais – Espilantol

    Além de aminas e antioxidantes, o Jambú tem mais mais de 18 componentes no óleo essencial, entre eles o Espilantol, que é o maior interesse da indústria alimentícia, de bebidas e cosméticos. O Espilantol é o principal constituinte da oleoresina ou extrato concentrado do Jambu e responsável por seu efeito indutor da salivação e pela estimulação do nervo trigêmeo, o que as pessoas sentem como dormência ou língua levemente anestesiada.

    No momento existem várias empresas desenvolvendo protocolos para extração do Espilantol e sua exportação. Na indústria é utilizado em cosméticos e bebidas alcoolicas. Existem patentes internacionais que dão outros usos, como goma de mascar, creme e enxaguantes bucais e estimulantes sexuais. A cachaça e o licor já ultrapassaram as fronteiras nacionais”, diz.

    Não Cura Covid-19

    Importante lembrar que Jambu nao cura Covid-19, como foi divulgado em notícias falsas. De acordo com pesquisas a única forma de prevenção conhecida contra a doença ainda é a vacinação. Portanto, cuidado, ao cair em conversas sem comprovação científica.

    Indicações da medicina tradicional

    A planta do jambu possui propriedade antifúngica, diurética, antiviral, antisséptica, antioxidante e anestésica, principalmente, o que é devido à uma substância que é liberada quando mastigado, o espilantol. devido às suas propriedades, o jambu pode ter diversas aplicações medicinais, podendo ser utilizada para:

    – Ajudar no combate de infecção por vírus e fungos;

    – Combater os radicais livres, evitando o envelhecimento precoce;

    – Ajudar a aliviar a dor de dente e de garganta;

    – Auxiliar no tratamento da tosse e do herpes;

    – Aumentar os níveis de testosterona no homem, possuindo, portanto, efeito afrodisíaco;

    -Ajudar a fortalecer o sistema imunológico, já que é rico em vitamina C.

    É importante que o consumo e o uso do jambu para fins medicinais seja recomendado pelo médico ou fitoterapeuta, e que não substitua o tratamento anteriormente indicado pelo médico.

    Como usar

    As folhas, flores e raízes podem ser utilizadas no preparo de chás, sendo recomendado para isso colocar 10 g de folhas de jambu em 500 ml de água fervente, deixar repousar por 10 minutos, coar e beber até 3 vezes por dia. O jambu também pode ser utilizado na forma de óleo essencial, devendo o seu uso ser recomendado pelo médico ou fitoterapeuta.

    Mulheres grávidas não devem usar o jambu

    O jambu pode promover contrações uterinas e, por isso, o seu consumo na forma de chá, óleo ou em receitas não é recomendado para mulheres grávidas.

    * Em Tempo, com informações do Portal Meu Amazonas. 

    Leia também:

    Jambu: conheça os benefícios do 'agrião da Amazônia'

    Conheça os poderes do jambu da Amazônia