Fonte: OpenWeather

    Saúde emocional


    Experiências ruins, pesadelos podem ser positivos à saúde emocional

    Segundo estudo, pesadelos passaram a fazer parte do sono da maioria dos brasileiros desde o início da pandemia

     

    Especialistas explicam como a experiência traumática coletiva, causada pela crise sanitária, interfere em nosso sono
    Especialistas explicam como a experiência traumática coletiva, causada pela crise sanitária, interfere em nosso sono | Foto: Reprodução/Internet

    MANAUS (AM)  - Você está em meio a uma selva, correndo de animais ferozes que estão lhe perseguindo, mas, subitamente, desperta assustado e percebe que tudo não passou de um pesadelo. Apesar de não serem experiências agradáveis, os sonhos ruins podem trazer benefícios à saúde emocional.

    Desde o início da pandemia causada pela Covid-19, os brasileiros estão dormindo menos e com uma má qualidade do sono, segundo um estudo do Instituto do Sono de São Paulo. Boa parte das pessoas que participaram da pesquisa afirmaram que estão tendo, constantemente, pesadelos, e 78% acordam no meio da noite ou muito cedo pela manhã.

      Uma teoria elaborada por especialistas do sono afirma que os pesadelos seriam uma maneira de liberar todas as nossas emoções, fazendo com que o nosso cérebro trabalhe em cima da preocupação da vez. O fato de todos estarmos, desde o início da pandemia, em permanente estado de alerta e de medo com as notícias sobre a crise sanitária, pode explicar a ocorrência dos pesadelos.  

    Segundo a psiquiatra e neurocientista Natália Mota, a pandemia da Covid-19, com todas as suas consequências, é um trauma coletivo, de forma que os sonhos refletem o esforço psíquico para se adaptar a essa realidade.

    "Quando sofremos um trauma individual, o mundo lá fora, a rotina das outras pessoas, continua igual. Mas no caso da pandemia, que é o que estamos vivendo agora, o mundo externo está totalmente instável, então estamos coletivamente digerindo informações difíceis, sem paralelo com qualquer coisa que já tenhamos vivido", diz a médica.

    Modificações neurológicas positivas

    Para a psicóloga Débora Nogueira, outra teoria que explica esse aumento durante a pandemia se deve pelo fato de que boa parte das pessoas passaram a ter atividades mais noturnas, passando a ter mais necessidade de sono, aprofundando a ocorrência de sonhos. 

    "

    Esses pesadelos fazem parte de um processo de regulação neurológica e psicológica que possui o potencial em recarregar as nossas energias, em um momento momento onde você vai organizar esse cérebro para ele interpretar melhor as funções neurológicas. Essas modificações neurológicas de fato acontecem e são positivos "

    , explica a especialista.

     

    No entanto, a psicóloga também destaca os pontos negativos em quem tem sonhos ruins constantemente. "Em muitos casos, o pesadelo por si só faz com que você não tenha um descanso completo, então você vai se sentir cansado no dia seguinte achando que não tem uma bagagem de descanso necessário, o que pode afetar na qualidade da performance de um atividade ao longo do dia"

    "O importante é não esquecer o quão é necessário uma boa noite sono, somado à prática de atividades físicas e uma boa alimentação. Tudo isso é indispensável para uma qualidade de vida saudável, tanto física, quanto emocional", finaliza Débora.

    Leia mais

    Miopia dispara entre crianças e adolescentes durante a pandemia

    Motoristas de app vítimas de crimes voltam abalados ao trabalho no AM

    Atendimentos psicológicos no Amazonas ultrapassam 5 mil atendimentos