Fonte: OpenWeather

    Perda


    Mãe de Paulo Gustavo emociona o Brasil com declarações sobre o filho

    No primeiro Dia das Mães sem o filho, dona Déa Lúcia, que foi a inspiração para a dona Hermínia, falou sobre a perda de Paulo Gustavo

      

    Dona Déa tenta reunir força para suportar a dor da perda
    Dona Déa tenta reunir força para suportar a dor da perda | Foto: Divulgação

    Dona Déa Lúcia era o retrato vivo de Dona Hermínia, personagem do filho Paulo Gustavo de sucesso fenomenal no teatro e no cinema e que foi inspirada pela própria. Uma mãe esquentada, desbocada e amorosa, que conquistou os brasileiros, passou esse Dia das Mães, no domingo (9), em tristeza. 

    Na ficção e na vida real, as duas mulheres tão importantes para o Paulo Gustavo têm em comum a força diante das adversidades. Força que Dona Déa tenta reunir, agora mais do que nunca, para suportar a dor da perda.

    “Eu fiquei durante 53 dias rezando, pedindo a Deus que me desse força. A morte é uma coisa certa na vida da gente. A gente só espera que uma mãe vá na frente. Então, é muito duro. Não estou bem, mas eu sou capaz de rir. Eu quando conto, falo dele, eu conto as coisas, eu rio, porque ele detestava quando eu chorava”, disse durante entrevista ao Fantástico.

    Veja trecho da entrevista

    Capa do Vídeo
    | Autor: Divulgação
     


    Juntos no cinema e no teatro

    Com "Dona Hermínia", a mãe superprotetora e debochada que caiu nas graças do público, Paulo Gustavo lotou teatros e protagonizou filmes campeões de bilheteria. A personagem apareceu pela primeira vez na peça "O Surto" de 2004 e foi aclamada pela plateia. 

    Com o sucesso, o humorista decidiu criar um espetáculo só sobre a personagem, em 2006. A primeira vista, dona Déa não gostou da criação e achou que não ia dar certo. No entanto, no primeiro ano da peça Paulo foi indicado ao Prêmio Shell. 

    Na adaptação para o cinema, os filmes foram um grande sucesso e - somados - os três filmes venderam mais de 26 milhões de ingressos entre 2013 e 2020.

     

    Com "Dona Hermínia", a mãe superprotetora e debochada que caiu nas graças do público
    Com "Dona Hermínia", a mãe superprotetora e debochada que caiu nas graças do público | Foto: Divulgação


    No último espetáculo, o ator criou a peça “Filho da mãe”, na qual dividia o palco com dona Déa para cantar e contar histórias. A ideia era que a peça fosse uma forma de retribuição para mãe por ela ter contribuído com a carreira de Paulo.

    Perda

    O ator e humorista Paulo Gustavo morreu no Rio na terça-feira (4), aos 42 anos, após complicações da Covid-19. O criador de Dona Hermínia e de outros personagens que entraram na casa dos brasileiros estava internado desde 13 de março no Hospital Copa Star, em Copacabana, na Zona Sul.

    Desde o dia 22 de março, o ator precisou ser intubado, “para ser tratado de forma mais segura”, segundo informou a assessoria dele.

    No último domingo (2), Paulo apresentou melhoras e  interagiu com médicos e com o marido, Thales Bretas. À noite, sofreu uma embolia pulmonar e teve o quadro agravado.

    Leia mais:

    Paulo Gustavo morre de Covid no Rio aos 42 anos

    "Não existe pessoa mais generosa que ele", diz marido de Paulo Gustavo

    Após morte do ator, mãe de Paulo Gustavo agradece carinho dos fãs

    Comentários