×
Tribunal

Lucas Picolé, Isabelly Aurora e outros envolvidos em esquema de rifas ilegais serão julgados nesta sexta

Segundo a polícia, o esquema de fraude das rifas clandestinas movimentou R$ 5 milhões em dois anos de funcionamento

Foto: Reprodução

Audiência de instrução e julgamento de Isabelly Aurora, Lucas Picolé, Paulo Victor, Enzo Felipe da Silva Oliveira e Aynara Ramilly, suspeitos de envolvimento no esquema de venda de rifas Ilegais na internet deve acontecer nesta sexta-feira (1º), no Fórum Henoch Reis, Zona Sul de Manaus. 

Segundo a polícia, o esquema de fraude das rifas clandestinas movimentou R$ 5 milhões em dois anos de funcionamento.

Em setembro de 2021,o Ministério Público do Amazonas (MPAM) apresentou uma denúncia onde apontava Isabelly Aurora e Lucas Picolé como mandantes do esquema. De acordo com o órgão, o esquema funcionava assim:

  • Lucas Picolé e Isabelly Aurora receberam vultosa quantia em dinheiro decorrente do pagamento de bilhetes de rifas por diversos prêmios, dentre os quais veículos, enquanto Aynara da Silva (ex-mulher de Lucas) e Mano Queixo recebiam quantias provenientes de rifas cujos prêmios eram menores.
  • ‘Mano Queixo’ trabalhava juntamente com Lucas Picolé em todas as fases da operação, estando envolvido na arrecadação de prêmios e nas entregas. Para dissimular a propriedade do dinheiro, Lucas utilizava a conta de Marcos Vinícius Maquiné com seu consentimento, sabendo que seria utilizada para receber dinheiro proveniente das rifas ilegais.
  • Flávia Ketlen da Silva (cunhada de Lucas Picolé) atuava principalmente junto à loja “Lucca Conceito” e na lavagem de capitais, permitindo que o influencer comprasse veículos em seu nome.
  • O círculo familiar de Isabelly Aurora também fazia parte da organização criminosa, especialmente com o objetivo de dissimular a propriedade dos veículos, que foram comprados um em nome de sua mãe Isabel Simplício e outro em nome de seu ex-marido Paulo Victor Bastos.

As promoções e divulgações de sorteios clandestinos eram realizadas através das redes sociais e, posteriormente, sendo divulgados os valores. Segundo o delegado Cícero Túlio,  titular do 13º Distrito Integrado de Polícia (DIP), esse processo dificultava a fiscalização e atuação das autoridades. 

A partir do inquérito policial instaurado, oito influenciadores digitais foram indiciados por 11 crimes distintos em Manaus. Além de Lucas Picolé e Mano Queixo, a influenciadora Isabelly Aurora Simplício Souza, 21; a mãe dela, Isabela Simplício; o ex-marido dela, Paulo Victor Monteiro Bastos, 25; e Aynara Ramilly, também foram indiciados.

Enzo Felipe da Silva Oliveira, de 24 anos e João Lucas da Silva Alves, 24, negociavam armas de fogo, munições e eram suspeitos de envolvimento com tráfico de drogas sintéticas. 

Leia mais

Lucas Picolé é preso mais uma vez por suspeita de divulgação de rifas ilegais no AM

MP aponta Lucas Picolé e Isabelly Aurora como mandantes de quadrilha de venda de rifas

Além de rifas ilegais, Lucas Picolé e Mano Queixo negociavam armas de fogo, diz PC-AM

Entre na nossa comunidade no Whatsapp!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *