×
saúde

Arte da autoestima: como esteticista amazonense transforma corpos e vidas

Há 16 anos, parintinense especialista em saúde e estética de alta performance, Tallyta Brasil é uma referência no Norte do Brasil

Em um país onde a estética movimenta o cenário econômico, é fundamental reconhecer que a saúde mental e a autoestima são partes essenciais dessa equação.

O Brasil é conhecido por sua paixão pela beleza e pela busca incessante pela perfeição estética. E não é à toa que o bumbum, parte do corpo que tanto encanta os brasileiros, é um foco central. No entanto, para muitas mulheres, tal obsessão pode ser uma fonte de ansiedade e insegurança.

É aqui que entra Tallyta Brasil. Com 16 anos de experiência, ela não apenas aprimora a aparência física, mas também trabalha incansavelmente para elevar a autoestima de suas clientes. Seu diferencial? Um olhar atento e um coração compassivo.

A profissional não se limita a aplicar enzimas ou a esculpir corpos. Ela entende que a verdadeira transformação começa dentro.

“A autoestima é a base de tudo. Quando uma mulher se sente bem consigo mesma, ela irradia confiança e beleza”, diz.

E nas mãos da Maga da Estética, os resultados falam por si. É caso de Jacy Alice, uma das clientes de Tallyta.

“Perdi meu esposo e minha filha, e me senti sem chão. Mas graças ao carinho e à atenção que recebi durante meu protocolo de cuidados da Dra. Tallyta e sua equipe, a vontade de viver voltou. Sou grata por não terem desistido de mim”, agradece.

Jessica Menezes, outra cliente, revela: “Com a Dra. Tallyta, aprendi que é possível transformar meu corpo e minha mente. Hoje, finalmente visto meu tão esperado biquíni. Basta ter força de vontade e um pouquinho da Brasil Fisio&Corpo”, sugere.

Bumbum na nuca começa na mente

Não é surpresa que o Brasil lidere a busca por procedimentos estéticos no mundo. A indústria da beleza movimenta bilhões de reais anualmente, impulsionando a economia e criando empregos. E Tallyta Brasil, com sua abordagem holística e humanizada, é uma peça fundamental neste cenário.
Contudo, ela faz um alerta: não basta ter um bumbum na nuca, uma barriga tanquinho ou qualquer outra parte do corpo esteticamente bonita, é preciso cuidar da mente.

Vai ver que é por isso que ela é considerada uma verdadeira artista da autoestima. Sua clínica transcende o espaço físico e se torna um refúgio para mulheres que buscam mais do que beleza exterior. É um lugar onde a alma é nutrida e a confiança floresce.

Tallyta é especialista em saúde e estética, abordando questões de harmonização corporal, emagrecimento e alta performance estética.

Para ela, estética está intrinsecamente ligada à saúde mental e, consequentemente, a autoestima.

“Quando nos sentimos bem com nossa aparência física, isso impacta positivamente nossa autoestima. A confiança em nossa própria imagem reflete em outras áreas da vida, como relacionamentos e desempenho no trabalho”, afirma.

Harmonização corporal e autoimagem

A harmonização corporal envolve técnicas que visam equilibrar proporções e melhorar a aparência física. Esses procedimentos podem impactar positivamente a autoimagem e, consequentemente, a autoestima.

Tallyta, como especialista, oferece tratamentos personalizados para ajudar as mulheres a se sentirem bem consigo mesmas. Isso inclui procedimentos estéticos, exercícios físicos e orientações sobre saúde mental.

Em resumo, a estética não é apenas sobre aparência física; é sobre cuidar da mente e do corpo.

Tallyta Brasil, com sua abordagem holística, está ajudando mulheres a se sentirem bem consigo mesmas, tanto interna quanto externamente.

Pressão e baixa autoestima

De acordo com Tallyta Brasil, a insatisfação constante com a própria imagem é um dos principais fatores que levam as pessoas a buscarem intervenções estéticas, incluindo cirurgias plásticas.

Mas a profissional alerta: a pressão para se adequar aos padrões impostos pode gerar ansiedade, baixa autoestima e até mesmo transtornos mentais, como a dismorfia corporal (Transtorno Dismórfico Corporal – TDC) que se caracteriza por afetar a percepção que o paciente tem da própria imagem corporal, levando-o a ter preocupações irracionais sobre defeitos em alguma parte de seu corpo (por exemplo: nariz torto, olhos desalinhados, imperfeições na pele etc.

Neste sentido, Brasil diz que é essencial compreender que a estética não deve ser vista de forma simplista.

“Um tratamento estético e até uma cirurgia plástica podem desempenhar um papel fundamental no retorno da autoestima e no bem-estar das pessoas. É importante avaliar as motivações por trás desses procedimentos e acolher os pacientes, reconhecendo que a busca pela beleza está intrinsecamente ligada à saúde mental”, reforça.

Beleza autêntica

Enquanto o mundo busca a perfeição, é essencial lembrar que a verdadeira beleza reside na autenticidade. A estética deve ser uma jornada de aceitação, amor-próprio e transformação interior.

Tallyta Brasil, compreende essa conexão e trabalha não apenas com corpos, mas também com corações.

E os depoimentos de Jacy Alice e Jessica Menezes humanizam esta história, lembrando-nos de que a verdadeira beleza está na jornada de autodescoberta e aceitação.

*Com informações da assessoria

Leia mais:

Saúde anuncia política para ampliar acesso a especialistas no SUS

Fundação de Medicina Tropical realiza mutirão de atendimento em Manaus

Governo acompanha chegada de navio com materiais para termelétrico Azulão no AM

Entre na nossa comunidade no Whatsapp!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *