×
combate

Prefeitura de Manaus inicia 2º Levantamento de Infestação do Aedes aegypti de 2022

Trabalho visa identificar, eliminar e tratar criadouros do mosquito Aedes aegypti, vetor de transmissão da dengue, zika e chikungunya

Todos os 63 bairros de Manaus serão alcançados. Foto: Divulgação/Semsa

Manaus (AM) – Começa nesta quinta-feira (3), o 2º Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa) de 2022. O trabalho da Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), visa a identificação, eliminação e tratamento de criadouros do mosquito Aedes aegypti, vetor de transmissão da dengue, zika e chikungunya. A ação acontece até o dia 18 deste mês e vai abranger 25.374 imóveis selecionados por amostragem nos 63 bairros do município de Manaus.

O chefe da Divisão de Controle de Doenças Transmitidas por Vetores, Alciles Comape, informa que o trabalho será realizado por 300 profissionais, entre agentes de controle de endemias, agentes comunitários de saúde, motoristas e pessoal de apoio, que irão atuar na vistoria dos imóveis nas zonas Norte, Sul, Leste e Oeste.

“O LIRAa é realizado duas vezes ao ano para identificar o nível de risco em Manaus e em cada bairro para as doenças transmitidas pelo Aedes, que pode ser baixo, médio ou alto risco. Com essa informação, associado ao número de casos notificados de dengue, zika e chikungunya, é possível obter um diagnóstico atualizado do nível de risco para a população, identificando bairros prioritários na execução de ações de controle do Aedes e prevenção de doenças”, explica Alciles.

O primeiro LIRAa de 2022 foi realizado no mês de abril e apontou um Índice de Infestação Predial de 2,2%, permanecendo em médio risco para as doenças transmitidas pelo Aedes (médio risco compreende valores entre 1,0 e 3,9), com a identificação de 17 bairros em alta vulnerabilidade para as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti.

Casos

O município de Manaus registrou este ano, entre janeiro e outubro, 975 casos confirmados de dengue, o que representa uma redução de 74,4% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 3.808 casos da doença.

Em relação aos casos de Zika Vírus, nesse mesmo período, o município registrou este ano 52 casos confirmados, com um aumento de 6,1% em relação ao ano passado, quando o número de casos chegou a 49; os casos confirmados de chikungunya deste ano chegam a 41, com redução de 18% em comparação com 2021, que registrou 50 casos.

*Com informações de assessoria

Leia mais:

Agentes vão utilizar novo larvicida no combate ao Aedes aegypti em Manaus

Rio Preto da Eva realiza ação de combate ao mosquito Aedes Aegypti

Itacoatiara lidera número de casos de doença da urina preta no Amazonas

Entre na nossa comunidade no Whatsapp!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *