×
Contexto

Novos lockdowns param indústrias na China e podem provocar nova escassez de insumos no PIM

Os lockdowns decretados em importantes cidades da China, como forma de conter o novo avanço da Covid-19 no país, afetam mais de 30 empresas fabricantes de componentes eletrônicos

Divulgação

Novos lockdowns param indústrias na China e podem provocar nova escassez de insumos no PIM

Segundo o vice-presidente da FIEAM, Nelson Azevedo, os lockdowns decretados em importantes cidades da China, como forma de conter o novo avanço da Covid-19 no país, afetam mais de 30 empresas fabricantes de componentes eletrônicos que fornecem insumos para o Polo Industrial de Manaus (PIM).

“Essa nova onda da Covid na China, causada pela variante BA.2 da ômicron, deve impactar as indústrias locais e do Ocidente. Apesar de ser localizada em algumas cidades, as medidas de contenção da disseminação, impostas pelas autoridades, afetam as fábricas locais”, diz Nelson.

As indústrias do PIM dependem em grande parte dos insumos provenientes da China, afirma o líder empresarial lembrando que as restrições impostas no início da pandemia, no final de 2019 e início de 2020, causaram desajustes no abastecimento de algumas indústrias da Zona Franca de Manaus.

Problemas a contornar

“Apesar da existência de um estoque intermediário, os insumos de maior valor agregado têm um tempo de trânsito menor e, consequentemente, um estoque menor nas fábricas”, comenta Azevedo.

Ele diz torcer pelo sucesso dos lockdowns nas cidades chinesas para que não faltem insumos ao PIM: “Torcemos para que os lockdowns nas cidades sejam exitosos em conter a disseminação dessa nova cepa do vírus, e que logo as fábricas restabeleçam seu ritmo de produção e exportação”.

Casos assustam

Na segunda-feira (14), a China contabilizou 1.437 novos casos de Covid-19. É o maior surto do coronavírus no país em 2 anos, levando o governo a reativar a estratégia “Covid Zero” em várias localidades.

Dados do Ministério da Saúde chinês apontam que 1.337 pessoas foram infectadas localmente em dezenas de cidades, dentre as quais Jilin e Shenzhen, onde 17,5 milhões de pessoas entraram em isolamento por uma semana.

Alex presidente

Com a presença do presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), Roberto Cidade (PV), o deputado estadual por Rondônia, Alex Redano (Republicanos), foi empossado, na última segunda-feira (14), na presidência do Colegiado de Presidentes das Assembleias Legislativas do Brasil.

A implantação das emendas de bancadas, conforme proposta de Cidade, será uma das bandeiras da gestão Redano junto aos Legislativos Estaduais do país.

A proposta já é uma realidade na ALE do Amazonas.

União negocia

A cúpula nacional do União Brasil luta com problemas em várias regiões para formar seus diretórios estaduais. Os maiores problemas ocorrem nos estados do Maranhão, Ceará, Piauí e Alagoas.

No Amazonas, o quadro é dos mais estáveis a partir do ingresso do governador Wilson Lima, que deve filiar vários parlamentares e prefeitos ao partido nos próximos dias.

Consumidores

No Dia Mundial do Consumidor, celebrado em 15 de março, a presidente da Associação das Donas de Casa do Estado do Amazonas (ADCEA), Neuda Lima, abriu o verbo na Assembleia Legislativa para protestar contra a absurda alta de preços com que o comércio de Manaus afronta o Código de Defesa do Consumidor.

Em Cessão de Tempo de autoria do deputado Álvaro Campelo (Progressistas), Neuda criticou os preços escorchantes que permeiam, sobretudo, os gêneros alimentícios vendidos na capital do Estado.

Jefferson Peres

Maior figura histórica do PDT no Amazonas, o ex-senador Jefferson Peres será homenageado “in memoriam” na Assembleia Legislativa, amanhã, atendendo a propositura do deputado estadual Adjuto Afonso.

O presidenciável do partido, Ciro Gomes, prestigiará a sessão especial.

Seguro-defeso

Na companhia do deputado federal Silas Câmara (Republicanos), o deputado Dermilson Chagas (sem partido) avistou-se com o ministro do Trabalho e Previdência Onyx Lorenzoni, no último dia 09, em Brasília.

De acordo com Dermilson, o ministro prometeu dar agilidade ao pagamento do seguro-defeso a milhares de pescadores no Amazonas.

O pagamento já foi autorizado pelo INSS, mas precisa de celeridade para chegar aos pescadores.

Serafim no Avante

Líder do prefeito David Almeida na Câmara Municipal de Manaus, o vereador Marcelo Serafim deixou ontem o PSB, partido que comandava no Estado ao lado do pai, deputado Serafim Corrêa.

O parlamentar assinou ficha no Avante e disputará uma cadeira na Câmara Federal nas eleições de 2022.

30 mi ao esporte

Dos mais de R$ 1 bilhão do “pacotaço” de obras anunciado pelo governador Wilson Lima, R$ 30,8 milhões serão investidos no esporte e lazer sob a coordenação da Fundação Amazonas de Alto Rendimento (Faar), em parceria com a Seinfra.

O “pacotaço” envolve a realização de 29 obras como a revitalização da iluminação dos estádios, reforma do parque aquático e kartódromo da Vila Olímpica e reformas nos campos de futebol da capital e do interior, além do Complexo de Esporte e Lazer do bairro do Areal, em São Gabriel da Cachoeira.

Força-Tarefa

Victor Bicca, diretor da Coca-Cola Brasil, é um dos participantes do painel Tecnologia e Pesquisa Inovadoras para Conservação e Desenvolvimento que começa nesta quarta-feira (16) e prossegue amanhã, em Manaus, na 12º Reunião Anual da Força-Tarefa de Governadores pelo Clima e Florestas (GCF Task Force).

O evento, que se encerrará na sexta (18), reúne a cúpula de governadores que atua para proteger as florestas e reduzir as emissões dos gases de efeito estufa em 10 países.

Reposição hídrica

O público que prestigiar o GCF Task Force terá a oportunidade de conhecer mais os projetos Pan Amazônicos de reposição hídrica da companhia em um stand dentro da feira de produtos da bioeconomia.

A GCF Task Force, realizada em parceria com o Governo do Amazonas, por meio da Sema, com o patrocínio da Coca-Cola Brasil, promove debates sobre mudanças climáticas e proteção de florestas tropicais.

Sem controle

Números da campanha #IsoladosOuDizimados, do Instituto Socioambiental (ISA), mostram que o desmatamento sem controle no sul do Amazonas está dizimando grandes áreas de povos indígenas isolados.

Se nada for feito, a tendência é que o desmatamento destrua 170 mil km² de área até 2050, diz o ISA.

Sem reajuste

Nem a guerra do Leste da Europa e tampouco a elevação dos preços dos combustíveis pela Petrobras farão a Cigás reajustar o preço do gás natural no Amazonas.

Dados do Ministério de Minas e Energia apontam que a Cigás pratica a menor tarifa do segmento comercial e a terceira menor no segmento residencial, destacando-se em relação às concessionárias de todo o país.

Leia mais:

A hora e vez do Amazonas

Wilson lança pacote superior a R$ 1,1 bilhão e anuncia 28 mil empregos no Amazonas

Liberação da exploração de potássio em Autazes é prioridade máxima, diz Hamilton Mourão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.