×
REPRESENTATIVIDADE LGBT

Disney terá personagens LGBTQIA+ nas próximas produções

Após denúncias de homofobia, a presidente Karey Burke anunciou que a empresa investirá na representatividade nas telas até o final de 2022

Quem esperava avanço na representatividade nas produções da Disney já pode comemorar. A presidente Karey Burke anunciou recentemente algumas mudanças futuras para os personagens. Segundo ela, “metade” deles serão explicitamente LGBTQIAPN+ ou pertencentes a grupos étnicos-raciais. Em entrevista, a executiva assegurou que as mudanças entrarão em vigor até o final do ano, como prova de que o estúdio está do lado da diversidade.

Em março, funcionários da Pixar divulgaram uma carta aberta denunciando que cenas de “afeto abertamente gay” foram cortadas de diversas produções. Um exemplo foi o veto a um beijo gay em “Lightyear”, animação derivada da franquia “Toy Story” que conta a origem do icônico patrulheiro do Comando Estelar. Após protestos, o beijo voltou e vai ser exibido na animação com estreia prevista para junho.

No ano passado, a Disney foi alvo de mais críticas por cancelar a série “A Casa da Coruja”, que trata abertamente de temas LGBTQIAPN+. Em um post no Reddit, a criadora Dana Terrace falou abertamente sobre o motivo. “Há alguns empresários que supervisionam o que se encaixa na marca Disney e um dia um desses caras decidiu que [A Casa da Coruja] não se encaixava nessa marca”, afirmou.

Sucesso de “A Casa da Coruja”, que traz um casal de garotas, não impediu cancelamento Foto: Reprodução – Disney

Apesar da série ter conquistado o público, sendo elogiada pela sua representação positiva, “A Casa da Coruja” não seguiu adiante, ficando apenas até a terceira temporada com 3 episódios especiais de 44 minutos. O Disney Channel, onde a animação foi exibida, ainda não anunciou a data de estreia da última temporada, mas o desenho está disponível também em plataformas de streaming.

Apesar das polêmicas em torno do estúdio, o recente lançamento da Disney Pixar, “Red: Crescer é uma Fera” tem gerado esperança de representatividade entre o público. Circula na web um headcanon – termo usado por fãs, que indica uma crença pessoal sobre a história que não foi demonstrada oficialmente – de que Miriam, uma das melhores amigas da protagonista Mei Lee, é uma garota trans. Porém, ainda não foi publicada nenhuma declaração oficial dos criadores da animação.

*Terra

Leia mais:

Coreógrafo ministra oficina online de dança africana em Manaus

Acrobata do Amazonas leva arte circense para novas gerações

Conheça roteiros turísticos com arte e cultura para dias chuvosos em Manaus

Edição web: Jonathan Ferreira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.