×
Contexto

Marcha para Jesus se mistura a protestos em favor do modelo Zona Franca de Manaus

Para os deputados estaduais Sinésio Campos (PT) e Ricardo Nicolau (PDT), a defesa da ZFM e dos empregos garantidos pelo Parque Industrial de Manaus é tão importante quanto a marcha religiosa que acontece hoje

A Marcha para Jesus deste sábado em Manaus será realizada em clima de indignação e protestos em defesa dos incentivos fiscais e segurança jurídica do modelo Zona Franca de Manaus.

Ao longo da semana, a presença do presidente Jair Bolsonaro (PL) no evento provocou grande onda de manifestações, principalmente, de parlamentares protestando contra os decretos que ferem de morte a competitividade da ZFM e ameaçam 500 mil empregos diretos e indiretos gerados pelo modelo.

Para os deputados estaduais Sinésio Campos (PT) e Ricardo Nicolau (PDT), a defesa da ZFM e dos empregos garantidos pelo Parque Industrial de Manaus é tão importante quanto a marcha religiosa que acontece hoje. “Precisamos, sobretudo, defender a ZFM”, disse Sinésio à coluna.

Evangélicos rebeldes

Informações à coluna via aplicativo Whatsapp dão conta de que alguns grupos evangélicos articulam protestos de defesa da ZFM durante a Marcha para Jesus de hoje.

Segundo os internautas, a ideia dos protestos nasceu de familiares de pessoas que trabalham em empresas do PIM que temem uma nova onda de demissões em consequência dos recentes decretos bolsonaristas hostis à ZFM.

Trânsito muda

Por meio do IMMU, a Prefeitura de Manaus montou um plano urgente de trânsito e transporte em função da 28ª edição da Marcha para Jesus deste sábado.

Cerca de 160 agentes de trânsito estarão posicionados para monitorar o fluxo nos principais cruzamentos das vias incluídas no trajeto.

A programação iniciará às 12h, na rua Ferreira Pena (Praça da Saudade). O IMMU interditará algumas vias antes, durante e depois do evento, para garantir a segurança viária dos participantes, e os veículos e os ônibus do sistema de transportes serão desviados para outros itinerários.

Mais um castigo

Além dos decretos presidenciais atentatórios às vantagens comparativas da ZFM, o Amazonas, segundo o jornal Valor Econômico, será um dos estados que mais sofrerão com a queda de arrecadação causada pela proposta do Governo Federal de limitar a cobrança do ICMS a 17% ou 18% para combustíveis e energia.

Os estados mais prejudicados serão Piauí e Minas Gerais, que cobram uma alíquota de 31%. Depois vêm Maranhão (30,5%) e Mato Grosso do Sul (30%).

A seguir, aparecem os demais estados também atingidos pela queda de arrecadação em termos proporcionais: Mato Grosso (23%), Acre, Amazonas, Amapá, Roraima, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo, todos estes cobrando alíquotas na faixa de 25%.

Fome como legado

Ao comentar matéria veiculada por O Globo com o título “Ameaça da fome atinge 36% das famílias no país”, o senador Omar Aziz (PSD) declarou que a fome será o principal legado deixado pelo governo Jair Bolsonaro.

Omar considera inadmissível a fome castigar um grande contingente de pessoas em um país que se destaca como um dos maiores produtores de alimentos do mundo na atualidade.

Os números divulgados por O Globo, com base em estudo realizado pelo Centro de Políticas Sociais FGV Social, foram tema do editorial O Mapa da Fome publicado na edição de ontem do Amazonas Em Tempo.

Datafolha

Na visão de analistas, a pesquisa do Instituto Datafolha, que aponta possível vitória de Lula sobre Jair Bolsonaro no primeiro turno da disputa presidencial, mostra que a saída do ex-juiz Sérgio Moro e do ex-governador paulista João Doria da corrida eleitoral majoritária não trouxe qualquer benefício ao atual presidente.

Da mesma forma, o Auxílio Brasil também não melhorou a popularidade de Bolsonaro no confronto com Lula no Nordeste, onde a empatia em torno do petista continua forte como nos tempos do Bolsa Família.

Síndrome respiratória

Nova edição do boletim do Infogripe, da Fiocruz, aponta o preocupante crescimento dos casos de síndrome respiratória aguda grave (Sraq) no país. O documento estima que o país teve 6.000 casos entre os dias 15 e 21 de maio.

Além do Distrito Federal, a Fiocruz se diz apreensiva com a situação de 17 estados: Acre, Alagoas, Amazonas, Amapá, Bahia, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Roraima, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Especialistas novas medidas sanitárias, incluindo o uso de máscaras em transportes públicos e a intensificação da cobertura vacinal contra a Covid-19.

Certame da SSP

Com a cassação da medida cautelar que suspendia as atividades relacionadas ao concurso público da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas pelo TCE-AM, o cronograma classificatório do certame foi retomado.

Aos classificados na primeira etapa do concurso, a entrega dos exames médicos acontece nos dias 28 e 29 de maio, com resultado preliminar previsto para o dia 6 de junho.

A etapa classificatória é de responsabilidade da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Sem reajuste

Definitivamente, não haverá mais aumentos privilegiados a policiais neste ano, garante o presidente Jair Bolsonaro (PL). Os policiais terão que se conformar com o aumento de 5% a todas as categorias.

Ele afirma que movimentos grevistas não resolverão o problema e que luta com dificuldades para cortar R$ 17 bilhões dos ministérios para abrir espaço no Orçamento a fim de dar reajustes.

Reajuste acima de 5% estouraria o teto de gastos e ensejaria crime de responsabilidade, diz o presidente.

Concursos

Indicações do vereador Capitão Carpê Andrade (Republicanos) ao Governo do Estado propõem que o número de provas corrigidas nos concursos da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros seja de seis vezes a quantidade de candidatos e não somente três vezes como prevê o edital.

Conforme o parlamentar, o Governo já autorizou aumentar o número de correções do concurso da Polícia Civil e a mudança proposta servirá para que mais candidatos consigam preencher o número máximo de vagas disponíveis ao final do certame.

Leilão da PGE-AM

A Procuradoria Geral do Estado (PGE-AM) realizará, em 1º de junho, o leilão eletrônico de três imóveis provenientes de penhoras em processos de Execuções Fiscais.

A ação será realizada por meio do portal de leilões on-line da Amazonas Leilões www.amazonasleiloes.com.br.

O leilão terá o lance inicial de 100% do valor da avaliação. Não havendo lance, segue sem interrupção para o segundo leilão, marcado para o dia 8 de junho. Nesse caso, o lance mínimo é de 50% do valor da avaliação.

PL da censura

O senador paranaense Álvaro Dias (PR), líder do Podemos, é um dos maiores críticos do projeto que altera o Código Eleitoral e censura a divulgação de pesquisas no dia das eleições de outubro.

Segundo o relator, senador Alexandre Silveira (PSD-MG), o PL está pronto e pode ir à votação a qualquer momento no Congresso Nacional.
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), evita falar publicamente sobre o assunto.

Ficha Limpa

A exemplo de Álvaro Dias, outros senadores acusam o PL da censura de enfraquecer a fiscalização de partidos.
Eles dizem que o PL atinge a Lei da Ficha Limpa e afrouxa o controle de gastos do Fundo Partidário.

Contudo, senadores bolsonaristas pressionam para que o projeto seja votado de qualquer maneira.

Marian no UFC

Após a frentista gaúcha Marian Damasio, de 22 anos, poderá fazer carreira no UFC, conforme o empresário amazonense, ex-lutador de jiu-jítsu e MMA Wallid Ismail.

Vallid se disse impressionado ao assistir a um vídeo em que, no último domingo, a frentista nocauteou, com dez socos, um indivíduo que a assediou na lanchonete de um posto de gasolina em que a frentista trabalha em Porto Alegre.

Leia mais:

Amazônia negligenciada

O mapa da fome

Veja como ficará o trânsito em Manaus por conta da ‘Marcha para Jesus’

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.