×
Editorial

Javari pode gerar CPI

Autor da propositura que gerou a Comissão, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) pediu pressa

Por entender que os acontecimentos ocorridos na Terra Indígena Vale do Javari não podem ser tratados como algo isolado, inclusive em consequência da alta repercussão na mídia internacional, o Senado aprovou a criação de uma Comissão Externa Temporária para investigar as causas que resultaram no desaparecimento do indigenista Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Philips.

Autor da propositura que gerou a Comissão, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) pediu pressa para que os partidos indiquem os nomes dos nove parlamentares que virão ao Amazonas realizar investigações sobre o quadro de violência que graça no Javari e cujos resultados poderão subsidiar a formação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Congresso.

“Não podemos mais tratar como isoladas situações de violência contra os defensores da floresta. Temos a escalada do banditismo de uma política de ódio e violência que deve ser combatida com ações eficientes dos poderes”,

disse Randolphe em sessão do Senado, defendendo a urgência da Comissão.

Fala-se que Randolphe e outros parlamentares, que se voltaram para o Javari logo após os acontecimentos do último 05 de junho, estranharam um recente evento que envolveu a Embaixada brasileira em Londres. Como se sabe, uma fonte da Embaixada ligou no amanhecer de segunda-feira (13) para a esposa de Phillips, Alessandra Sampaio, comunicando que os corpos dele e de Bruno haviam sido encontrados.

Imediatamente, a Polícia Federal desmentiu o comunicado e a Embaixada se recusou a repisar o assunto. Um evento que os senadores não deixarão de investigar, de acordo com informações. Quem forneceu falsas informações a Embaixada acerca dos corpos de Bruno e Philips? E com que intenções?

Leia mais:

A política é um movimento constante

PF encara máfia

Barril de pólvora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.