×
Apagão

Parlamentares amazonenses criticam ‘apagão de internet’ no Estado

Esse já é o terceiro apagão de internet registrado no Amazonas em oito meses. O primeiro apagão foi registrado em agosto de 2021 e o mais recente, em 15 de fevereiro deste ano

Divulgação

Manaus (AM) – A capital amazonense sofreu pela terceira vez, em menos de oito meses, uma queda geral de internet, nesta terça-feira (22). O sistema, que começou a apresentar falhas por volta das 10h da manhã, deixou a população sem acesso a diversos serviços digitais. Parlamentares locais criticaram a problemática enfrentada. 

De acordo com o deputado federal Sidney Leite (PSD), o Amazonas em forma geral vive um caos no que diz respeito ao acesso a uma internet de qualidade. Ele salienta que a agência de telecomunicações não toma as devidas providências. 

“Eu mesmo estive uns dias atrás cobrando do presidente (da empresa) medidas enérgicas. Que fique claro que a Anatel está à serviço das empresas e não do consumidor. Eu entendo que o parlamento precisa repensar a função dessas agências porque elas não cumprem o papel para que foram criadas, infelizmente”,  

afirmou.  

O primeiro apagão foi registrado em agosto de 2021 e o mais recente, em 15 de fevereiro deste ano. 

Vendo o desamparo no estabelecimento de internet, o deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) classifica o ocorrido como uma agressão ao consumidor. 

“A minha sugestão é que o Procon seja duro com a operadora que está lesando os  consumidores. A Anatel a quem compete dar as concessões deve agir igualmente, porque nós consumidores estamos desamparados”,

disse o parlamentar.

O deputado estadual Adjuto Afonso (PDT), salienta que a queda de internet prejudica imensamente as atividades da população e que a princípio, a primeira atitude a ser recorrida é notificar o Procon (A Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor). 

“Isso é muito grave. Após notificar o Procon, deve-se acionar a Anatel. A empresa é o órgão que fiscaliza a comunicação para que possamos verificar qual sanção essas empresas defendem o consumidor e fiscalização das telecomunicações”,

comentou o deputado estadual. 

O vereador Rodrigo Guedes (PSC), acredita que regionalmente sofremos com uma problemática enorme em relação a qualidade de estabelecimento de internet. Segundo ele, nenhuma das empresas toma as devidas responsabilidades. 

“Os órgãos de defesa do consumidor devem provocar a Anatel. Infelizmente a Anatel não funciona. Outra vez eu perguntei para o superintendente da Anatel aqui no Amazonas se alguma vez a empresa já havia multado as empresas de telefonia e a resposta foi que não, ou seja, o que não tem punição, nunca vai melhorar”,

destacou. 

Resultados 

A instabilidade na internet, ocasionou inúmeros impasses nas atividades diárias da população. O estudante Eros Mota, afirma que durante a dificuldade de acesso a internet, não conseguiu ser informado do cancelamento de uma reunião. 

“A reunião foi desmarcada pouco tempo depois de eu ter saído de casa. Cheguei ao local e minha colega conseguiu me avisar em cima da hora, porém eu já havia me deslocado. Além disso, tentei realizar uma compra em um estabelecimento, que não conseguia passar a máquina de cartão e não aceitava em espécime”,

relatou. 

Além de casos isolados, a falta de internet afetou a prestação de serviços em grandes órgãos, como o Detran. O departamento informou que os serviços de veículos e de habilitação, prestados presencialmente e pelo portal de serviços, estavam fora do ar. 

“O problema gerado pelo cabeamento da Embratel afeta todos os municípios onde o Detran Amazonas atua, tornando assim impossível o atendimento”, informou a nota. 

Notas das empresas 

A Anatel informou que a empresa Claro informou ter enfrentado uma interrupção das 11h48 às 15h30 desta terça-feira (22) devido ao rompimento simultâneo e acidental de 3 de suas rotas de transmissão que atendem Manaus. 

“Os serviços de telefonia fixa, banda larga fixa e telefonia móvel foram afetados nos Estados do Amazonas (AM) e Amapá (AP) e degradados no estado de Roraima (RR). A Vivo reportou ter tido 10 minutos de instabilidade em banda larga fixa e telefonia celular nos Estados do Amazonas e Amapá, das 13h10 às 13h20, devido a interrupção de linha de transmissão contratada com empresa terceira. A Anatel segue monitorando a situação”, salientou a nota. 

Em nota, a Claro informou que a queda de internet foi devido ao rompimento de cabos na infraestrutura de longa distância compartilhada entre as operadoras que atendem a região de Manaus. 

“A Claro ressalta que as equipes técnicas responsáveis estão atuando na recuperação e os serviços já começaram a ser restabelecidos”, afirma. 

Leia mais:

Combustíveis: Wilson Lima defende esforço conjunto da União, Estados e Municípios para solução

Observatório da Mulher na Política relata dificuldade para denunciar violência política de gênero

Lei autoriza prescrição de remédio no SUS com indicação diferente da prevista pela Anvisa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.