×
Contexto

MDB se assanha: Simone Tebet agora é a rainha da terceira via

A senadora Simone Tebet (MDB) ganhou força como a possível pré-candidata da chamada terceira via ao Palácio do Planalto nas eleições deste ano

Divulgação

Com a saída do ex-governador paulista João Doria (PSDB) da corrida eleitoral, a senadora Simone Tebet (MDB) ganhou força como a possível pré-candidata da chamada terceira via ao Palácio do Planalto nas eleições deste ano.

Por meio de nota, em Cuiabá, onde participava ontem de um evento do MDB, Tebet declarou acerca do ex-governador: “Doria nunca foi adversário. Sempre foi aliado. Sua contribuição com a luta pela vacina jamais será esquecida. O Brasil é maior do que qualquer projeto individual e a união do centro democrático não é por opção, mas por necessidade de oferecer ao Brasil uma alternativa de poder”.

Caciques do PSDB e do Cidadania disseram que a saída de cena de Dória abre um leque maior de debates e articulações visando à busca de uma pré-candidatura de consenso das forças políticas moderadas capaz de quebrar a polarização Lula/Jair Bolsonaro.

“Sem corrupção”

Desolado, João Dória justificou sua renúncia à disputa eleitoral de 2022 para a Presidência da República como um ato de reconhecimento a uma realidade adversa dentro do PSDB cujos caciques se voltaram contra ele após as prévias partidárias do final de 2021.

“Me retiro da disputa com o coração ferido, mas com a alma leve, com a sensação inequívoca do dever cumprido e missão bem realizada, com boa gestão e sem corrupção”, disse o ex-governador.

Jogo pode mudar

Na tarde de ontem, lideranças emedebistas admitiram que o jogo eleitoral em alguns estados poderá mudar na medida em que o nome de Simone Tebet se fortalecer entre os partidos que defendem a terceira via na corrida presidencial.

Um dos estados onde o cenário da batalha pode ser alterado é o Amazonas, onde o nome do senador Eduardo Braga terá tudo para crescer com a afirmação de Simone como cabeça de chapa unindo MDB, PSDB e Cidadania.

Nesse caso, o MDB passaria a ser o protagonista maior, inclusive considerando os bons índices de Braga nas pesquisas eleitorais para o governo do Estado.

Ramos perde cargo

O ministro Alexandre de Moraes, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou ontem que o presidente da Câmara Federal, Arthur Lira (PP-AL), publique decreto declarando vago o cargo de vice-presidente da Câmara e mais outros dois cargos da Mesa Diretora da Casa: a 2ª Secretaria e a 3ª Secretaria.

Segundo Moraes, Ramos e as deputadas Marília Arraes (Solidariedade-PE) e Rose Modesto (União Brasil-MS) trocaram de legendas de forma ilegal durante a última janela partidária.

Lira apressado

Segundo o site Metrópoles, ontem mesmo Arthur Lira, aliado do Palácio do Planalto, apressou a instalação de cabines de votação para a escolha do seu novo vice-presidente.

Ao sair do PL, Marcelo Ramos havia feito um acordo com o presidente da legenda, Valdemar da Costa Neto, para que o partido não reivindicasse o cargo depois. Mas, sob pressão do Palácio do Planalto, Valdemar rasgou o acordo.

Em suas redes sociais, Ramos culpou o presidente Jair Bolsonaro pela perda do cargo de vice.

Ministro em RR

No último dia 16, na companhia do governador Antonio Denarium e de uma equipe do DNIT, o ministro da Infraestrutura Marcelo Sampaio realizou visita técnica ao Estado de Roraima, onde vistoriou as obras de duplicação da BR-401 e pavimentação da BR-432.

Marcelo destacou a obra de duplicação da BR-401 e assegurou que a pavimentação da BR- 432, sob a responsabilidade do Exército Brasileiro, será finalizada até dezembro próximo.

A rodovia é estratégica o escoamento de grãos entre Roraima e Manaus.

Indiferença

No Grupo BR-319, Um Direito Nosso, internautas membros do grupo on-line lamentaram a indiferença do ministro em relação a BR-319. Esta permanece empacada apesar de sua óbvia importância estratégica para a expansão da Zona Franca de Manaus e para o intercâmbio do Amazonas com os estados do Sul.

FVS homenageada

Em alusão ao mês de maio, destinado a homenagear os profissionais de enfermagem, a diretora-presidente da FVS-RCP, Tatyana Amorim, foi distinguida com a Comenda Professora Josephina de Mello, do Conselho Regional do Amazonas (Coren-AM).

A homenagem ocorreu no sábado (21), durante a segunda edição do Baile das Esmeraldas, no espaço Dulcila Festas e Convenções, no bairro Ponta Negra.

Vacina esquecida

Preocupada com a baixa procura da população pela vacina antiCovid-19, a Prefeitura de Manaus prossegue na sua campanha de imunização da população contra a pandemia.

A Semsa disponibiliza 52 pontos de imunização até o dia 27 em todas as zonas geográficas da cidade. O objetivo é alcançar aqueles que ainda não iniciaram o ciclo vacinal ou estão com doses em atraso.

“É preciso imunizar”

Segundo a subsecretária de Gestão da Saúde da Semsa, Aldeniza Araújo de Souza, 294.380 pessoas estavam com a segunda dose atrasada até sexta-feira passada e outras 644.561 estavam dentro do prazo para tomar a terceira e ainda não tinham buscado o reforço.

“A Prefeitura já avançou muito na vacinação da população, com mais de 70% com o ciclo vacinal completo, mas os esforços não param. Ainda tem um público grande que precisa tomar essa vacina, é preciso vacinar”, diz Valdeniza.

Provas da PGE-AM

A prova objetiva do concurso da Procuradoria Geral do Estado (PGE-AM) para o cargo de procurador, ocorrida no domingo (22), em Manaus, registrou 474 ausentes, cerca de 27% do total de 1.759 candidatos inscritos. O gabarito foi divulgado ontem.

As provas escritas dissertativas do certame serão realizadas nos dias 16 e 17 de julho. As provas orais estão marcadas para os dias 29 de novembro e 3 de dezembro.

Fundo de 1,5 bilhão

O governador Wilson Lima sancionou a lei de criação do Fundo de Infraestrutura e Desenvolvimento do Estado do Amazonas (Fideam) para execução de obras e projetos em áreas estratégicas da gestão pública.

Sob a gerência da Seinfra, o Fundo possibilitará investimentos da ordem de R$ 1,5 bilhão em projetos nas áreas de segurança pública, saúde, educação e infraestrutura.

Globalização

Conforme publicação no “Financial Times”, a era de três décadas de globalização pode estar no fim.

O alerta é de empresários e investidores de empresas que participam do Fórum Econômico Mundial na cidade suíça de Davos.

As causas apontadas são as reverberações geopolíticas da guerra entre Rússia e Ucrânia, somadas à desestabilização das cadeias de abastecimento globais provocadas pela Covid-19, além das turbulências dos mercados financeiros e o rápido agravamento do panorama econômico internacional.

Milhões ilegais

Uma operação deflagrada na quinta-feira (19) pela Polícia Federal desmascarou um grupo, suspeito de explorar garimpos ilegais na Terra Indígena Yanomami, que faturou mais de R$ 200 milhões em dois anos.

O grupo é integrado pelo empresário Rodrigo Martins de Mello, pré-candidato a deputado federal pelo PL e que tenta legitimar a atividade criminosa no território yanomami.

De acordo com a PF, aeronaves pertencentes a empresas de membros do grupo são usadas para transportar pessoas, combustível e equipamentos para extrair minérios de forma ilegal na terra proibida.

Leia mais:

STF precisa se manifestar

Bolsonaro faz marketing com visita de Elon Musk para mostrar preocupação com a Amazônia

Era uma vez a BR-319

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.