×
Diplomacia

“Embaixada do Brasil não tem condições de fazer operações de resgate na Ucrânia”, diz Itamaraty

Atualmente, cerca de 500 brasileiros vivem na Ucrânia e, entre eles, 160 se cadastraram no site da Embaixada

Brasília (DF) – Na tarde desta quinta-feira (24), o Itamaraty fez uma coletiva de imprensa para passar orientações aos brasileiros que vivem na Ucrânia. Leonardo Gorgulho, secretário de comunicação do Itamaraty, alertou, no entanto, que a Embaixada do Brasil em Kiev não realiza operações de resgate.

Atualmente, cerca de 500 brasileiros vivem na Ucrânia e, entre eles, 160 se cadastraram no site da Embaixada para manter contato com as autoridades brasileiras.

“Aos brasileiros na capital Kiev, que permaneçam em casa, seguido a recomendação das autoridades ucranianas. Solicita-se aguardar novas orientações da embaixada”,

disse o secretário.

Já aos brasileiros que estão no lado leste do país, a orientação é que eles deixem a região.

“Os que não puderem deixar o país por meios próprios, devem deslocar-se a Kiev e contatar imediatamente a embaixada.”

“Aos brasileiros que estejam em Odessa ou Lviv, que deixem o país rumo a Moldova, no caso os que estão em Odessa, ou para a Polônia, no caso dos que estão em Lviv. Essas localidades estão a cerca de 500 quilômetros da capital Kiev, mas são bastante próximas das fronteiras com esses países. É mais simples, rápido e seguro que os brasileiros nessas localidades usem transportes locais ou próprios, caso queiram deixar a Ucrânia. A embaixada do Brasil, ou de qualquer outro país, não tem condições de fazer operações de resgate.”

Gorgulho pediu para que os brasileiros que vivem na Ucrânia se cadastrem no site da embaixada e apelou para que respeitem o toque de recolher, em vigência em diversas cidades ucranianas. O secretário aconselhou ainda que os brasileiros na Ucrânia busquem se abrigar em locais distantes de bases militares e de infraestruturas energéticas e de comunicações.

“De forma geral, brasileiros que estejam em condições de deslocar-se por meios próprios para outros países a oeste da Ucrânia são orientados a fazê-lo tão logo após informar-se sobre a segurança local. Temos informações de que isso está acontecendo”, afirmou Leonardo Gorgulho.

Caso os brasileiros deixem a Ucrânia em direção aos países vizinhos, as embaixadas do Brasil em Varsóvia, Minsk, Bucareste Bratislava e Moscou estão de plantão para receber essas pessoas.

*Com informações da assessoria

Edição: Lucas Henrique

Leia mais:

“Brasil apela à suspensão imediata das hostilidades”, diz Itamaraty sobre guerra

Vídeo: Biden diz que G7 vai aplicar maior sanção da história à Rússia

Presidente do Congresso brasileiro pede diálogo entre Rússia e Ucrânia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.