×
Julgamento

Caso Flordelis: Filho é absolvido de acusação de homicídio de pastor

O MP-RJ afirmou que ainda vai avaliar se recorrerá pedindo um aumento da pena dos réus condenados hoje

Divulgação

Brasília (DF) – Após mais de 21 horas de julgamento, o Tribunal de Júri de Niterói (RJ) decidiu absolver Carlos Ubiraci Francisco da Silva, filho adotivo da ex-deputada federal Flordelis, das acusações de homicídio triplamente qualificado e de tentativa de homicídio contra o pastor Anderson do Carmo, assassinado em junho de 2019.

Carlos Ubiraci e outros três réus foram condenados por uso de documento falso e associação criminosa armada por se envolveram na elaboração de uma falsa carta onde Lucas Cézar dos Santos, outro filho adotivo de Flordelis, assumiria toda a culpa pela morte de Anderson, então marido da política e pastora evangélica.

A absolvição de Carlos Ubiraci, que também é pastor evangélico, foi pedida pelo MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro), que entendeu não haver provas suficientes de seu envolvimento no assassinato de Anderson e na tentativa de envenená-lo. Por isso, a Promotoria de Justiça junto à 3ª Vara Criminal de Niterói informou que não pretende recorrer da decisão.

O MP-RJ afirmou que ainda vai avaliar se recorrerá pedindo um aumento da pena dos réus condenados hoje. “[A Promotoria] irá analisar a dosimetria das penas fixadas pela Juíza-Presidente e a eventual ocorrência de erros materiais, para então deliberar, no prazo legal, acerca de eventual recurso, que não dirá respeito à absolvição do réu Carlos Ubiraci quanto às imputações de homicídio, ocorridas a pedido do próprio Ministério Público”, disse, em nota.

Flordelis, que é acusada de ser a mandante do assassinato a tiros do marido, será julgada em 9 de maio, ao lado de duas filhas e uma neta.

Veja as condenações de cada um dos réus:

  • Carlos Ibiraci – absolvido das acusações de homicídio triplamente qualificado e de tentativa de homicídio, foi condenado a 2 anos e 2 meses de prisão por associação criminosa;
  • Adriano dos Santos Rodrigues – Filho adotivo de Flordelis, foi condenado a 4 anos, 6 meses e 20 dias de prisão por associação criminosa e uso de documento falso;
  • Marcos Siqueira Costa – O ex-PM foi condenado a 5 anos e 20 dias de prisão por associação criminosa e uso de documento falso;
  • Andrea Santos Maia – Mulher de Siqueira, foi condenada a 4 anos e 3 meses e 10 dias de prisão por associação criminosa e uso de documento falso.

O advogado Carlos Melo, que defende Marcos Siqueira e Andrea Maia, afirmou que a defesa não deve recorrer das condenações. Ainda segundo ele, Andrea jé tem direito de cumprir pena em regime aberto, já que passou um período presa provisoriamente por conta de medidas cautelares pedidas durante a investigação.

André Luiz de Oliveira, outro filho adotivo de Flordelis, teve o julgamento adiado porque seu advogado passou mal ontem (13) e não pôde comparecer ao julgamento.

Filhos foram condenados em novembro

Em novembro, a Justiça condenou os primeiros envolvidos na morte de Anderson do Carmo. Os filhos da ex-deputada Flávio dos Santos Rodrigues e Lucas Cézar dos Santos de Souza foram julgados na ocasião.

Flávio, acusado de efetuar os disparos que mataram o pastor, foi condenado a 33 anos e dois meses de prisão por homicídio, porte ilegal de arma de fogo, uso de documento falso e associação criminosa.

Já Lucas, acusado de ter comprado a arma usada no crime, foi condenado a sete anos e seis meses de prisão por homicídio.

Em agosto do ano passado, a política teve o mandato de deputada federal cassado por 437 votos a favor e apenas sete contrários, além de 12 abstenções.

Em depoimento na madrugada de hoje, o pastor Carlos Ubiraci acusou pela primeira Flordelis de matar Anderson. Ele negou envolvimento com o crime.

Ao falar sobre Flordelis, ele disse que “acredita, sim” que a ex-parlamentar teve participação direta no assassinato, segundo informações do jornal O Globo.

*Com informações do Uol

Leia mais:

Exército gastou R$ 3,5 milhões em próteses penianas, dizem parlamentares

Mulher flagra marido com amante e acaba apanhando

Justiça Federal proíbe Gabriel Monteiro de fiscalizar hospitais armado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.