×
Trajetória

Veja história de Ronda, cadela que morreu para salvar policiais de ataque de onça na Amazônia

A cadela participou de operações importantes da Polícia Militar e tem um histórico reconhecido

Foto: Divulgação

Manaus (AM) – Em ato heroico, a cadela condecorada Ronda, do canil da Polícia Militar do Amazonas (PMAM) morreu na noite da última quarta-feira (16), em uma luta com uma onça, para defender a equipe da PM de um ataque do animal, no município de Urucará, interior do Amazonas.

Confira a história da heroína:

A cadela Ronda tinha 6 anos e era da raça Pastor Belga Malinoes. Pelas suas habilidades, a cadela recebeu nome em homenagem à lutadora e medalhista Olímpica Ronda Rousey, e atuava com o seu adestrador, o 3° Sargento PM F Baraúna, responsável pelo início do projeto Canil Tupinambarana, em janeiro de 2020, no município de Parintins.

A cadela Ronda tinha 6 anos e era da raça Pastor Belga Malinoes. Foto: Divulgação

Em Manaus, Ronda iniciou a sua carreira na Companhia Independente de Policiamento com Cães em Manaus e participou de inúmeras ações.

Principais trabalhos:

A cadela participou de diversas ações e foi um importante reforço para os trabalhos da Polícia Militar. Foto: Divulgação

Busca do Corpo do Soldado Portilho: a cadela encontrou o corpo do Policial Portilho na invasão do Buritizal, na Cidade Nova, em Manaus, que ocorreu no dia 26 de maio de 2017. O PM foi assassinado e enterrado por traficantes;

“Operação Ratoeira”: em Parintins, Ronda participou da “Operação Ratoeira”, no dia 21 de fevereiro de 2020, que resultou na prisão de 3 infratores e na apreensão de arma de fogo e drogas;

“Carnailha”: participou da Operação “Carnailha”, no dia 23 de fevereiro de 2020, no policiamento ostensivo do evento;

Criança desaparecida: Ronda integrou a operação de busca de uma criança desaparecida na Invasão do Castanhal, em Parintins, ocorrido no dia 4 de abril de 2020. A criança foi encontrada em sua residência, e dois infratores foram presos por tráfico de drogas;

Intervenção na Unidade Prisional de Parintins: participou de Intervenções na Unidade Prisional de Parintins, nos dias 1º de maio e 3 de agosto de 2020, onde foi apreendido materiais cortantes, celulares e entorpecentes;

Apreensão de maconha: Integrou a equipe que realizou a apreensão de 6 tabletes de maconha, ocorrido no dia 19 de outubro de 2020, onde foi encontrado os entorpecentes numa balsa que realizava transporte;

Operação de resgate de desaparecido: participou da Operação em Apoio ao Corpo de Bombeiros no resgate de um desaparecido no Rio Mamuru, ocorrido no dia 12 de novembro de 2020;

Em sua última missão, Ronda salvou a vida da equipe da PM do ataque de uma onça. Foto: Divulgação

Salvou equipe de onça: em sua última missão de resgate, integrou as equipes de busca e resgate de três homens desaparecidos em área de mata de Urucará, onde se deslocou até o município no dia 7 de fevereiro deste ano. No dia 14 de fevereiro, às 19h, uma onça tentou atacar a equipe de busca que estava no acampamento descansando.

A cadela policial PM Ronda percebeu a aproximação, se soltou da guia, e confrontou heroicamente a onça, salvando os policiais militares. A luta corporal com a onça ocasionou vários ferimentos, causando a morte de Ronda

Por conta da inviabilidade do deslocamento de seu corpo, a cadela foi enterrada na mata.

Leia mais:

Cadela Honda morre ao defender PMs de onça no Amazonas

Homem é preso em Itacoatiara (AM) por atirar na boca de um cachorro

Homem é preso por zoofilia após estuprar duas éguas em MG

Comentários:

  1. Deveriam ter deixado os caçadores morrerem na floresta, este sim mereciam ser atacados, pq foram caçar animais em seu habitat. A onça é animal selvagem,apenas defende o território dela,ou seja,a casa dela.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.