×
Saldo Positivo

Junho registra alta do faturamento, emprego e rendimento da indústria

No mês de junho de 2022, o faturamento real da indústria de transformação avançou 0,9% em relação ao resultado de maio

Reprodução

Em junho, os indicadores da indústria de transformação mostraram crescimento. O faturamento, o emprego, a massa salarial e o rendimento médio tiveram avanço no mês e atingiram o ponto mais alto de 2022, o que indica um ambiente econômico mais favorável à indústria.

Parte da indústria de transformação vem conseguindo contornar ou minimizar suas dificuldades com relação ao fornecimento de insumos e matérias primas. Por essa razão, nota-se uma recuperação do emprego e dos rendimentos desacompanhada do aumento das horas trabalhadas e da utilização da capacidade instalada, que permanece elevada, porém sem variações expressivas desde o início do ano.

Em resumo, a indústria de transformação ainda conta com fortes gargalos impostos à expansão da produção, mas na medida em que a atividade econômica se recompõe, ela também permite que a indústria colha avanços graduais.

Faturamento real cresce em junho

No mês de junho de 2022, o faturamento real da indústria de transformação avançou 0,9% em relação ao resultado de maio, na série livre de efeitos sazonais. Foi o segundo aumento consecutivo, que levou o índice para o maior patamar alcançado pelo faturamento real em 2022. O faturamento é praticamente o mesmo de um ano atrás: na comparação a junho de 2021, o índice mostra variação de -0,1%

As horas trabalhadas na produção mantiveram-se estáveis em junho de 2022 após o avanço de maio, na série livre de efeitos sazonais. Com a estabilidade, as horas trabalhadas na produção se mantêm em patamar próximo ao do início de 2022 e acima do praticado em 2021. Em comparação a maio de 2021, há crescimento de 3,8%.

Emprego industrial cresce pelo segundo mês consecutivo

O emprego industrial registrou avanço de 0,4% em junho de 2022, na comparação com maio, considerando a série livre de efeitos sazonais. O emprego cresceu pelo segundo mês consecutivo após três meses de quedas moderadas registradas entre fevereiro e abril de 2022. Na comparação com junho de 2021, o emprego industrial cresceu 2,0%.

Em junho de 2022, a massa salarial real da indústria de transformação registrou crescimento de 2,4% na comparação com maio, na série livre de efeitos sazonais. Com o avanço, a massa salarial atingiu seu ponto mais alto desde março de 2020. Na comparação com junho de 2021, o crescimento foi de 2,5%.

O rendimento médio real dos trabalhadores da indústria avançou 1,9% em junho de 2022, na comparação com maio, na série livre de efeitos sazonais. Com esse crescimento, o rendimento atingiu o ponto mais alto de 2022 e se aproxima do patamar praticado no primeiro semestre de 2021. Em relação a junho de 2021, houve crescimento de 0,5%.

Utilização da capacidade instalada permanece elevada

A Utilização da Capacidade Instalada (UCI) recuou em 0,3 ponto percentual (p.p.) em junho de 2022, na comparação com maio, para 80,4%, considerando a série dessazonalizada. Apesar do recuo, a UCI se encontra em um patamar elevado, sem apresentar variações expressivas em 2022. Em comparação com junho de 2021, o indicador apresentou recuo de 1,5 ponto percentual.

*Com informações da Confederação Nacional das Indústrias

Leia mais:

Taxa Selic deve chegar a 14% em setembro, afirma BC

Com alta da refeição, 65% dos trabalhadores já optam por marmita

Pequenos negócios geram 72% das vagas de emprego no primeiro semestre

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.