×
Agressão

Vídeo: Mulher indígena apanha de policiais durante show na Bahia

Vítima teve ferimentos graves na cabeça e lesões pelo corpo. Comando da Polícia Militar baiana não quis se pronunciar

Pau Brasil (BA) – No aniversário de 60 anos da cidade de Pau Brasil, no sul da Bahia, foi manchado por um episódio de violência. Durante a festa realizada na noite da última segunda-feira (18), uma mulher indígena Pataxó HãHãHãe foi agredida por policiais militares e teve graves ferimentos na cabeça, além de escoriações pelo corpo.

Segundo testemunhas que contaram que em certo momento da apresentação o casal resolveu mudar de lugar em meio ao público e então passou bem perto de uma equipe da PM, que não teria gostado da aproximação. Os agentes de segurança, então, teriam simplesmente começado a sessão gratuita de pancadas contra o casal.

Priscila Muniz, de 31 anos, estava na festa com o marido quando ele decidiu passar próximo a uma equipe da PM, que não teria gostado da aproximação e lhe atingido com um cassetete.

“Não teve motivo nenhum, ele apenas pediu licença para passar, aí eles agrediram meu esposo. Quando eu pedi para que eles não fizessem isso porque a gente só estava passando eles me agrediram. Não tem lógica! A única coisa que eu posso dizer é preconceito contra nós indígenas”, comentou a vítima.

Em um vídeo compartilhado nas redes sociais pela jovem liderança Pataxó HãHãHãe Fabrício Titiah que rendeu centenas de respostas. O vídeo mostra Priscila e o esposo sendo agredidos e caindo no chão, enquanto os policias seguem desferindo golpes. Ela ainda tenta argumentar com os PMs enquanto o sangue escorre da sua testa.

Veja o vídeo :

O Comando da Polícia Militar da Bahia, não quis se pronunciar sobre o ocorrido, enquanto a Polícia Civil informou que a ocorrência sobre o caso não foi localizada nos arquivos da instituição.

Leia mais

Após acidente com carro alegórico, menina tem perna amputada no Rio de Janeiro

Homem quase morre ao chamar outro de ‘corno’

Prédio desaba após explosão em Vila Velha; 5 pessoas podem estar soterradas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.