×
MUNDO

Empresa Renault anuncia saída da Rússia

Diretores da montadora francesa concordaram por unanimidade com a venda da empresa para a capital russa e sua participação majoritária na montadora russa AVTOVAZ para um instituto russo

Renault
A Rússia era uma peça-chave no império global da Renault antes do início da guerra. - Divulgação

A montadora francesa Renault anunciou a venda de seus ativos na Rússia ao deixar formalmente o país após a invasão da Ucrânia. Os ativos valem 2,195 bilhões de euros (US$ 2,29 bilhões), segundo a Renault.

De acordo com a CNN Brasil, Os diretores da empresa concordaram por unanimidade com a venda da Renault para a cidade de Moscou e sua participação majoritária na montadora russa AVTOVAZ para o NAMI (Instituto Central de Pesquisa e Desenvolvimento de Automóveis e Motores), de acordo com um comunicado divulgado nesta segunda-feira (16).

Tomamos uma decisão difícil, mas necessária. E estamos fazendo uma escolha responsável em relação aos nossos 45 mil funcionários na Rússia”, disse a Renault em comunicado.

A venda de sua participação na AVTOVAZ oferece a opção para a Renault recomprar sua participação dentro de seis anos, de acordo com o comunicado.

O prefeito de Moscou, Sergei Sobyanin, disse que a cidade decidiu assumir a propriedade da fábrica e “retomar a produção de carros de passeio sob a histórica marca Moskvich”.

Vamos tentar manter a maior parte da equipe trabalhando diretamente na fábrica e com seus subcontratados”, escreveu Sobyanin, prometendo uma mudança futura para a produção de carros elétricos.

Moskvich era uma montadora da era soviética de veículos de passageiros comuns.

A Rússia era uma peça-chave no império global da Renault antes do início da guerra. Com 482.264 carros vendidos em 2021, a Rússia foi o segundo mercado mais importante para a Renault, ficando atrás apenas da França, em termos de volume de vendas, de acordo com os resultados de vendas do grupo em 2021.

*Com informações da assessoria

Leia mais:

EUA impõem novas sanções contra Rússia por guerra na Ucrânia

Brasil defende a permanência da Rússia no G20, diz Carlos França

Rússia amplia ataques a Kiev e Lviv, cidades ucranianas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.