×
Multa

Moraes aplica nova multa a Silveira por descumprir decisão do STF; total chega a R$645 mil

A nova punição, por descumprir em sete ocasiões o uso do equipamento eletrônico, é de 105 mil reais

Divulgação

Brasília (DF) – O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu aplicar a terceira multa ao deputado bolsonarista Daniel Silveira (PTB-RJ) por continuar descumprindo medidas cautelares definidas pela corte, como o uso de tornozeleira eletrônica.

A nova punição, por descumprir em sete ocasiões o uso do equipamento eletrônico, é de 105 mil reais. Somadas com as multas anteriores, de 405 mil reais e de 135 mil reais, o total das punições chega a 645 mil reais.

No despacho divulgado nesta quinta-feira, Moraes reafirmou que não há justificativa para o desrespeito das medidas cautelares impostas e, diante da continuidade das violações ao e disse que em sete novas ocasiões ele violou a determinação para comparecer ao local determinado para fixar o equipamento de monitoramento desde o último dia 12.

“As condutas do réu, que insiste em desrespeitar as medidas cautelares impostas nestes autos e referendadas pelo Plenário do Supremo Tribunal Federal, revelam o seu completo desprezo pelo Poder Judiciário, comportamento verificado em diversas ocasiões durante o trâmite desta ação penal e que justificaram a fixação de multa diária para assegurar o devido cumprimento das decisões desta Corte”

, reafirmou o ministro.

Silveira é o pivô de mais um capítulo da crise entre o presidente Jair Bolsonaro e a cúpula do Poder Judiciário.

O deputado foi condenado pelo plenário do STF pelos crimes de coação no curso do processo e atentado ao Estado Democrático de Direito, ao proferir discursos de incentivo à violência com ataques à Justiça e a ministros do STF.

Silveira recebeu uma pena de 8 anos e 9 meses de reclusão, em regime inicial fechado, além de multa e da perda do mandato parlamentar, mas foi beneficiado no dia seguinte por decreto de “graça constitucional” de Bolsonaro. Entretanto, segundo Moraes, o parlamentar está sujeito às medidas cautelares “até eventual decretação da extinção de punibilidade ou início do cumprimento da pena”.

Após ter sido provocado, o STF ainda vai decidir a legalidade e a extensão dos efeitos do perdão concedido por Bolsonaro ao deputado.

*Com informações do Isto É

Leia mais:

Menezes e Omar Aziz representam a polarização Bolsonaro contra Lula em disputa pelo Senado

Lei de Chico Preto garante acesso gratuito aos jogos da Arena da Amazônia

Senado aprova volta do despacho gratuito de bagagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.