×
Guerra

Zelensky diz que negociará paz se Rússia devolver territórios

A declaração foi dada em entrevista ao jornal japonês NHK, conforme relatado pelo portal Ukrinform

Divulgação

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, disse nesta terça-feira (24) que seu governo só retomaram as negociações com a Rússia quando as tropas de Moscou se retirarem completamente do território ucraniano.

A declaração foi dada em entrevista ao jornal japonês NHK, conforme relatado pelo portal Ukrinform.

“Para cada ucraniano, a vitória é o retorno dos territórios. Acreditamos que a Crimeia e o Donbass são nossos territórios. Estamos lutando por nós mesmos”, disse ele.

O líder ucraniano quer que a Rússia devolva os territórios tomados após 24 de fevereiro, quando começou a invasão. “E, então, nos propomos sentar novamente à mesa de negociações e acordar a paz, o fim da guerra e o retorno de nossos territórios”.

De acordo com Zelensky, “a situação no Donbass é extremamente difícil” e “toda a força do exército russo que ainda tem é lançada para atacar”. Entre as cidades mais afetadas estão Lyman, Popasna, Severodonetsk, Slovyansk, onde “os ocupantes querem destruir tudo”.

“Na interceptação de suas conversas, sentimos que eles estão bem cientes de que esta guerra não tem sentido para a Rússia e que estrategicamente seu exército não tem chance. Mas é preciso tempo e esforço extraordinários de nosso povo para quebrar sua vantagem na quantidade de equipamentos e armas”, acrescentou ele em discurso.

Ontem (23), o presidente da Ucrânia já havia dito que somente um encontro com seu homólogo russo, Vladimir Putin, pode encerrar a guerra que já dura três meses. “Não aceito nenhum encontro com mediadores russos, mas apenas com o presidente Vladimir Putin, e deve haver apenas uma questão na mesa: para acabar com a guerra”, disse ele.

*Com informações do Uol

Leia mais:

Autora de ‘Como matar seu marido’ é julgada pelo assassinato do marido

Imagens de satélite mostram navios russos carregando grãos ucranianos na Crimeia

Em viagem à Ásia, Biden volta a afirmar que EUA vão defender Taiwan em caso de invasão da China

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.