×
Tragédia

Terremoto deixa mais de mil mortos no Afeganistão

O número de vítimas deve aumentar, uma vez que os tremores atingiram diversos vilarejos em regiões remotas de montanha

Subiu para pelo menos mil o número de mortos no terremoto de magnitude 6,1 que sacudiu o sudeste do Afeganistão na última terça-feira (21).

“Um grave sismo abalou quatro distritos da província de Paktika, matando e ferindo centenas dos nossos compatriotas e destruindo dezenas de casas”,

escreveu o porta-voz adjunto do governo talibã Bilal Karimi no Twitter.

O número de vítimas deve aumentar, uma vez que os tremores atingiram diversos vilarejos em regiões remotas de montanha.

O terremoto ocorre após a comunidade internacional ter em grande parte deixado o país, depois de o Talibã tomar o poder no ano passado em meio à retirada caótica das Forças Amadas americanas. Tal cenário deve dificultar a ajuda internacional após o sismo. Um porta-voz da ONU afirmou, no entanto, que a agência responderá ao desastre.

Segundo a agência de notícias estatal Bakhtar, equipes de socorro se deslocaram de helicóptero para a região atingida. O diretor da Bakhtar, Abdul Wahid Rayan, escreveu no Twitter que 90 casas ficaram destruídas em Paktika, que faz fronteira com o Paquistão, e que dezenas de pessoas podem estar presas sob escombros.

Em um distrito da província vizinha de Khost, o terremoto deixou ao menos 25 mortos e 95 feridos, disseram autoridades locais, alertando que o número de vítimas aumentaria sem ajuda urgente do governo.

Na capital, Cabul, o primeiro-ministro afegão, Mohammad Hassan Akhund, convocou uma reunião de emergência no Palácio Presidencial para coordenar a ajuda às vítimas em Paktika e Khost.

O departamento de meteorologia do Paquistão disse que o sismo teve uma magnitude de 6,1, tendo sido sentido na capital paquistanesa, Islamabad, e em outras zonas da província de Punjab oriental.

*Com informações do Terra

Leia mais:

Em Manaus, prédio do TJAM treme por conta de terremoto no Peru e é evacuado

No Afeganistão, mais um veículo de talibãs é atacado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.