×
Prevenção

Veja como se prevenir da varíola dos macacos fora do sexo

Fora do sexo, o toque pele a pele diretamente nas feridas pode ser mais comum em ambientes com grandes aglomerações

Reprodução

O surto atual de varíola dos macacos tem maior disseminação durante relações sexuais, porém a transmissão ocorre também em outras situações de contato próximo com alguém infectado. Um exemplo são os casos já reportados de crianças que contraíram a doença sem que houvesse qualquer contato sexual.

“O risco de transmissão existe independentemente da relação sexual”,

afirma Alberto Chebabo, médico infectologista e presidente da SBI (Sociedade Brasileira de Infectologia).

Fora do sexo, o toque pele a pele diretamente nas feridas pode ser mais comum em ambientes com grandes aglomerações, mas varia a depender do nível de exposição. O CDC (Centro de Controle de Doenças dos EUA) diz que eventos nos quais as pessoas estão completamente vestidas e com poucas chances de contato direto com a pele são seguros.

Concertos e teatros, por exemplo, podem ser considerados como contexto de baixo risco. Enquanto isso, situações com um grande número de indivíduos com poucas peças de roupas e com alta probabilidade de contato pele a pele apresentam mais riscos para a transmissão da doença. Exemplos são festas, boate e raves.

O contato direto com as lesões também pode ocorrer em ônibus e metrôs quando o índice de lotação está alto. “No transporte público, pode haver a disseminação do vírus a partir do contato pele a pele ou próximo a pessoa que está infectada”, afirma Ana Brito, epidemiologista do Instituto Aggeu Magalhães e associada da Abrasco (Associação Brasileira de Saúde Coletiva).

Para evitar esse tipo de transmissão, uma das principais recomendações é, caso você veja alguém com as lesões causadas pela varíola dos macacos, evite contato próximo. Também é recomendável manter a higienização das mãos com álcool 70% ou água e sabão. Isso porque você pode contaminar as mãos e depois tocar no olho ou na boca, facilitando a infecção pelo vírus.

Além disso, avaliar previamente os riscos de contato direto com pessoas em um evento a que pretende ir é indicado. Também é importante que, caso você apresente os sintomas comuns a varíola dos macacos, mantenha distância de outras pessoas e procure um serviço de saúde para ter o diagnóstico exato.

*Com iformações do Uol

Leia mais:

“Fumar de castigo”: a receita simples de médica brasileira que leva mais gente a largar o cigarro

Segundo caso de varíola dos macacos (monkeypox) é identificado no Amazonas

Dia Mundial do Orgasmo: sensação produz benefícios e é indicada para a terceira idade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.