×
Óscar 2022

Crítica de cinema do AM opina sobre Óscar 2022 no Cine Total

Camila faz parte da equipe do site Cine Set, que aborda temas do cinema regional, nacional e internacional

Manaus (AM)- O Programa Cine Total, recebeu no estúdio a jornalista e crítica de cinema, Camila Henriques. Na entrevista, a convidada teceu críticas ao Óscar 2022, considerando as premiações dos filmes, a organização da cerimônia e, principalmente, o histórico momento que foi marcado por um tapa de Will Smith em Chris Rock.

Atualmente, Camila faz parte da equipe do site Cine Set, que aborda temas do cinema regional, nacional e internacional, atua como assessora de imprensa de um órgão público, além de integrar o  Elviras, coletivo de mulheres críticas de cinema.

O Cine Total é exibido toda quinta-feira, às 18h, por meio das redes sociais e Youtube do Portal Em Tempo. O programa é voltado para os amantes do cinema e do audiovisual, a fim de discutir e conhecer as novidades sobre o universo da sétima arte.

Confira a entrevista:

Vamos tirar logo o elefante da sala e falar do maior momento, talvez, da premiação que foi aquilo que aconteceu entre o Will Smith e o Chris Rock. O Óscar de 2022 vai acabar ficando marcado pelo tapa de Will Smith em Chris Rock?

Acho que sim, ele esse tapa é seguido de uma discussão antecedido por uma piada bem infeliz meio que monopolizou. Todo mundo queria ver depois o que que ia acontecer no discurso do Will Smith, então depois com os outros prêmios, já estava todo mundo repercutindo o que tinha acontecido. O Chris Rock apresentou um prêmio ali, ele apresentou o prêmio pra Summer Of Soul, do Questlove, que é um cara muito querido, muito conhecido, inclusive, eu acho que isso ajudou muito na campanha do filme, melhor documentário e só que ninguém lembra que isso aconteceu, porque foi logo depois do tapa. A homenagem que teve ao Poderoso Chefão também foi logo depois assim perdeu meio que o impacto. Acho bom falar que não foi algo programado.

E vamos falar agora de uma parte bem sensível eu acho que desse desse Oscar que foi a falta de premiação talvez para “Ataque dos cães”. Quem ganhou ali basicamente só a melhor direção com a Jane Campion. Eu queria saber a tua opinião sobre isso Camila. Foi justo?

Não foi justo, mas pelo método que se usa para votar melhor filme, que é por um ranqueamento, e se o filme tem muito número um no ranking dos votantes e muito número dez, ele meio que se anula. Ganha o que está no consenso que ninguém ama, mas ninguém odeia, e eu “No Ritmo do Coração” se beneficiou disso assim como em outros anos “A Forma da Água”, que são filmes que ninguém odiava. Não eram filmes que tinham muita rejeição. Então assim, não era inesperado que fosse acontecer.

Na sua visão, existe um boicote à Netflix, visto que Coda, que é do streaming Apple Tv e também está disponível na Amazon, ganhou melhor filme e outras grandes produções da Netflix fracassaram nas grandes categorias da premiação durante anos?

Então o ”Ataque dos Cães” é da Netflix mesmo. Ele teve uma carreira de festival e também foi indicado acho que em três categorias. Duas de atuação e uma de roteiro. O Coda, na verdade, foi comprado pela Apple, depois que ele já estava pronto, depois do Sundance, inclusive a compra por US$ 25 milhões, foi uma grande notícia, porque sempre o filme que é comprado por um valor muito alto assim é notícia. Tem que pensar ser um festival muito importante para o cinema independente americano, foi de lá que saiu Pequena “Miss Sunshine”, até filmes brasileiros como “Que Horas Ela Volta” foram exibidas lá, foram premiados. Eu acho que o que pegou não foi a Netflix e sim, a campanha. Isso é muito importante. Eu não acho que foi uma rejeição a streaming, até porque o streaming tem muitas questões. Porém, na pandemia, as pessoas conseguiram assistir filme por onde? Acho que é bom assim pra Netflix abrir o olho em relação a campanha, em relação a atenção que ela dá a esses filmes, porque muitos deles, às vezes, ficam escondidos no catálogo.

A gente queria saber também a tua visão geral sobre o Oscar. Paradigmas que foram quebrados talvez ou não teve tanto isso. Tivemos avanços ou retrocessos em relação a premiações anteriores?

Em relação a audiência foi melhor que ano passado, mas o ano passado é um ano que a gente não deve contar muito, porque é uma coisa muito específica. Ano passado teve a questão do melhor filme ser anunciado no meio da cerimônia. Mas nesse ano, eu acho que foi uma cerimônia bem inferior, foi uma cerimônia chata, eu não acho o Oscar chato, muitas vezes eu gosto muito mais de ver a cerimônia do que ver quem vai ganhar, porque assim, para mim não faz muita diferença, é claro que quero ver meus filmes preferidos premiados. É claro que eu me emociono vendo a Jane Campion ganhando.

Mas, tinha um prêmio que eu estava muito em dúvida que é um prêmio muito decisivo. Para o melhor filme foi entregue sem o menor suspense, enquanto estava todo mundo no tapete vermelho. Além de ser uma desvalorização, porque tem muito ator que não chegaria nem a indicação do Óscar se não fosse a equipe de maquiagem ou não tivesse a trilha sonora. Enfim, acho que faltou reverência à história do cinema e eu espero que ano que vem seja melhor. Esse ano o pessoal deu uma audiência maior, mas foi um acidente de percurso.

Edição Web: Bruna Oliveira

Leia mais:

Oficina de bioinstrumentos musicais chega ao município de Novo Airão (AM)

Ingressos para “Pink Floyd Experience In Concert” já estão à venda em Manaus

Ingressos adquiridos para Kwati Club em 2020 já podem ser trocados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.