×
Mudanças

Janela partidária inicia na quinta-feira (3) e pode movimentar políticos no AM

A equipe do Em Tempo entrou em contato com políticos amazonenses para apurar possíveis mudanças que podem ocorrer até o dia 1 de abril

Divulgação

Manaus (AM) – O período de Janela Partidária inicia nesta quinta-feira (3) e possibilitará que deputados (estaduais) e federais, mudem de sigla, sem a perda de mandato. No Amazonas, articulações podem estar sendo realizadas, tendo em vista as eleições de 2022. A equipe do Em Tempo entrou em contato com políticos da bancada amazonenses para apurar possíveis mudanças que podem ocorrer até o dia 1 de abril.

O deputado federal Alberto Neto (Republicanos), apoiador fiel do presidente Jair Bolsonaro (PL), deve aproveitar a janela partidária deve para se filiar à sigla do presidenciável. Em declarações, o federal informou que não se pronunciaria até o momento certo, porém seria “o caminho natural” acompanhar os passos de Bolsonaro.

Assim como Alberto, o também representante de Bolsonaro no Amazonas, o ex-superintendente da Zona Franca de Manaus, coronel Alfredo Menezes, se filiou ao PL, seguindo os passos do presidente. É possível que em 2022, Menezes seja candidato à deputado Federal no Amazonas pelo partido.

O nome da deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB), tem sido cotado para disputar uma possível vice-liderança no Governo do Amazonas ao lado de Wilson Lima (PSC). Para isso, seria necessário uma realocação partidária, que até o momento não foi anunciada. A assessoria de Alessandra informou que no momento o foco dela é concluir os trabalhos à frente da Seas, cuja gestão termina no final de março.

“Qualquer assunto sobre eleição deve ser tratado depois disso”, informaram.

Perguntado pela equipe do Em Tempo se existe a possibilidade de mudança partidária durante o período, visando alguma articulação, o deputado estadual Roberto Cidade (PV) afirmou que não tem pretensões de deixar o Partido Verde.

“O deputado é presidente estadual do PV. Não sairá do partido”, afirmou a assessoria.

Cotado para uma possível candidatura a deputado federal em 2022, o vereador Amom Mandel eleito pelo Podemos, deixou o partido e até o momento ainda não firmou filiação em nenhum outro partido. Amom havia informado que se juntaria ao União Brasil, mas até o momento não anunciou quando firmará sua união ao grupo.

Recentemente, a informação de que o vereador Marcelo Serafim deixaria o PSB, partido no qual seu pai, o deputado estadual Serafim Correa é presidente, rumo ao Avante, visando o comando da Câmara Municipal, estava sendo divulgado. Para a equipe do Em Tempo, Marcelo confirmou que seu objetivo é disputar a eleição para a Câmara dos Deputados em um projeto com viabilidade política.

“À presidência da Câmara é algo que não passa pela minha cabeça nem pelas conversas tendo em vista que o meu objetivo é vencer as eleições deste ano’, disse.

Perguntado sobre a possível saída do PSB, ele afirmou que “ainda há muito tempo para qualquer decisão”.

Sobre a Janela Partidária

A janela partidária faz parte do Calendário Eleitoral e está prevista na Lei dos Partidos Políticos (artigo 22-A da Lei 9.096/1995). A regra foi regulamentada pela Reforma Eleitoral de 2015 (Lei nº 13.165/2015), após a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que firmou o entendimento segundo o qual o mandato obtido nas eleições proporcionais (deputados e vereadores) pertence à agremiação, e não aos candidatos eleitos. A regra também está prevista na  Emenda Constitucional nº 91/2016.

Leia mais:

Roberto Cidade participará de reunião com Governo Federal sobre redução do IPI

STF suspende último processo pendente contra Lula por Lava Jato

David Almeida vai divulgar carta aberta em defesa da ZFM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.